CPI da Pandemia está fadada a “morte” na Assembleia Legislativa do Amazonas

Reprodução

Pensei em mais de um título para esse texto, como por exemplo, cadê os deputados bolsonaristas que não assinaram a CPI da Pandemia? Logicamente que o Radar também quer saber cadê as assinaturas dos deputados de outras correntes políticas, mas pergunto preferencialmente cadê as assinaturas dos bolsonaristas, porque, eles espalharam aos quatro cantos do Amazonas e do País que o Governo Federal teria mandado bilhões para o combate a pandemia do Amazonas.

É claro que os discursos de parlamentares e as postagens nas redes sociais tinham o objetivo de isentar o Governo Federal da responsabilidade pela morte de milhares de cidadãos do Amazonas, vítimas do descaso, da incompetência, da omissão e, porque não dizer, também da roubalheira do dinheiro da saúde pública do Estado – bom lembrar que quem disse isso foi a Procuradoria Geral da República (PGR).

Vale lembrar ainda que, como de costume, as informações repassadas pelo presidente Messias Bolsonaro, seus filhos, seus aliados, correligionários, xerimbabos, apaniguados ou coisas do gênero, ou são mentiras ou meias verdades. No caso dos recursos e combate a pandemia, Bolsonaro e sua trupe falsearam os números.

Os repasses de R$ 8,91 bilhões feitos pelo Governo Federal ao Amazonas não correspondem aos valores repassados para o combate à pandemia. Esse montante de recursos tem a ver com os repasses obrigatórios determinados pela Constituição Federal, proveniente da arrecadação de tributos federais e estaduais, como por exemplo o Fundo de Participação dos Estados (FPE), o Fundo de Participação dos municípios (FPM), o Fundeb, IPI-Exportação, entre outros. Desse valor alardeado por Messias Bolsonaro apenas 6% foram repasses destinados à pandemia, ou seja, cerca de R$ 516 milhões, segundo dados que estão no Site Transparência.

E um dos bolsonaristas que mais assumiu esse discurso, inclusive na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado, de que Messias Bolsonaro podia “lavar as mãos” que nem Pôncio Pilatos já que tinha mandado muito dinheiro ao Amazonas para o combate à pandemia foi o deputado delegado Péricles (PSL). Mas, estranhamente, delegado Péricles não assinou a CPI da Pandemia. Será que o mesmo deputado que presidiu a CPI da Saúde e que apontou um monte de maracutaia feita com o dinheiro da saúde pública, não quer saber onde foi gasto o dinheiro enviado por Bolsonaro pro combate a pandemia?

Mas, a curiosidade de euzinha Any Margareth não para no deputado delegado, maior exemplar de bolsonarismo do Poder Legislativo. Cadê o relator da CPI da Saúde, deputado Fausto Junior (MDB), que atestou em seu relatório que tinha indícios de corrupção de tudo que é tipo na saúde do Amazonas? Num vai assinar não?

E o petista Sinésio Campos não vai assinar pra mostrar a verdade sobre esses bilhões dos quais Bolsonaro fala? Por que será que a oposição na Assembleia Legislativa do Estado encolheu tanto ficando agora em apenas dois deputados, Dermilson Chagas e Wilker Barreto, ambos do Podemos? Será que todo mundo teve perda de memória recente sobre tudo que aconteceu no Amazonas durante a pandemia?

E enquanto o Radar investiga a “amnésia” dos nobres deputados do Amazonas, a CPI da Pandemia agoniza com apenas duas assinaturas e está com prenúncio de morte.