CPI da Saúde apura indícios do superfaturamento de exames médicos

Foto: José Zamith

Os depoimentos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde avançam nesta quinta-feira (29), na Assembleia Legislativa do Amazonas.  As investigações são relacionadas aos exames médicos ofertados durante ação no interior do Amazonas, em 2017, que rendeu à empresa Norte Serviços, por meio de processo indenizatório firmado junto ao Governo do Estado. O processo  é referente aos procedimentos de colposcopia/conização  e apresenta valores com fortes indícios de superfaturamento.

Além disso, tem irregularidades e contradições na montagem de notas e relatórios referentes aos quatro dias nos municípios de Envira (a 1.207 km de Manaus ), Ipixuna (a 1.364 km da Capital) e Guajará (a 1.475 km de Manaus).

Nesta quinta, prestam esclarecimentos a ex-gerente de compras, Narelda da Silva Barros, às 15h; e o ex-secretário adjunto de Atenção Especializada do Interior, Edivaldo da Silva, às 16h30. Na sexta-feira (31), vão ser ouvidos a ex-secretária executiva do Fundo Estadual de Saúde (FÉS), Maria de Belém Martins Cavalcante, às 14h; e o médico responsável pelos exames, João Carlos dos Santos, às 16h.

“A Norte Serviços lucrou R$ 868 mil por quatro dias de atendimento. No processo, alegam ter atendido apenas 91 pacientes, dos quais foram contabilizados exames de colposcopia e conização por R$8.680,00, mesmo que por esses mesmos procedimentos o preço máximo cobrado pela rede particular de saúde seja de R$1,300,00. O acréscimo nos valores é absurdo e mostra claramente um beneficiamento ilícito por parte da empresa. Precisamos ouvir as pessoas diretamente ouvidas neste processo para saber delas qual justificativa para tanta incoerência de valores”, afirmou o presidente da CPI, deputado  Delegado Péricles (PSL).

A Norte já está na linha de investigação da CPI da Saúde pela prestação de serviços de lavanderia durante o período de combate ao coronavírus no Amazonas, também por meio de processo indenizatório repleto de indícios de fraudes, além de também figurar como prestadora de diferentes serviços para o executivo estadual desde 2016. A denúncia de prestação de serviços com preços exorbitantes no interior do estado foi revelada pela Comissão na última quinta-feira (23). A ação em foco foi realizada nos dias 28 e 29 de julho; e 10 e 11 de agosto de 2017.

 

(*) Informações da assessoria