CPI do BNDES vota contra convocação do ex-presidente Lula para depor sobre suspeita de tráfico de Influência

Rotta CPI  01

A Câmara dos deputados votou nessa quinta-feira em Brasília o requerimento de inclusão conhecido como extra-pauta da CPI que investiga o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) com o propósito de verificar o possível favorecimento de grandes empresas em financiamentos públicos. A intenção da votação era conquistar a oportunidade de convocar o ex-presidente Lula para maiores esclarecimentos sobre os possíveis privilégios concedidos durante seu governo.

A situação na câmara era de conflito: à medida que a oposição se manteve firme na aprovação da extra-pauta, ou seja, na convocação do ex-presidente, a base do governo se mostrou irredutível no propósito de derrubar o requerimento, afirmando que não existiriam argumentos válidos para tanto. A atitude foi considerada pelo presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, o Deputado Federal Marcos Rotta, uma manobra regimental.

“Infelizmente não foi possível avançar na pauta de convocação do ex-presidente Lula. Considerávamos essa uma participação realmente importante na legitimação dos fatos e uma oportunidade de esclarecimento para o povo brasileiro. Mas aqui seguimos e seguiremos sempre o princípio da democracia, respeitando a opinião da maioria dos colegas”, disse o Presidente Marcos Rotta, que foi elogiado algumas vezes durante a reunião pela conduta imparcial adotada durante todo o conflito de opiniões que prevaleceu durante a votação.

A CPI agora segue deliberando as pautas aprovadas e investindo nas possibilidades de convocação relevantes, de acordo com Marcos Rotta, a ideia é desenvolver uma agenda positiva para a Comissão, intercalando nomes aprovados e novos nomes e possibilitando uma maior apuração dos fatos, bem como uma visão mais ampla do caso.

A próxima sessão na qual será CPI ouvido o Sr. Dalton Avancini que está em prisão domiciliar e foi autorizado a depor graças à aprovação da justiça, esta agendada para terça-feira (06).