​​CPI para investigar dispensas de licitação do Governo está pronta para ser instalada

Com a assinatura do deputado estadual Platiny Soares (PSB), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) conseguiu a última assinatura que precisava para ser instalada. A CPI foi proposta pelo secretário-geral da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Sabá Reis (PR), no dia 9 de maio deste ano com objetivo de investigar o excesso de dispensas de licitações com valores milionários concedidos pelo Estado, durante a gestão atual do governador Amazonino Mendes (PDT),

Além de Sabá Reis e do presidente da Casa, David Almeida, já tinham assinado a CPI das licitações, os deputados Abdala Fraxe, Francisco Souza, José Ricardo Lula, Luiz Castro e Serafim Corrêa. Faltava apenas uma assinatura para a instalação da CPI, já que o Regimento Interno da Casa Legislativa determina a existência de oito assinaturas, 1/3 dos 24 deputados, para a instalação da comissão.

Na ocasião, Sabá Reis justificou o pedido de abertura da CPI com base em um levantamento que apontava 170 dispensas de licitação desde o início do governo de Amazonino em outubro de 2017 até abril de 2018, o que representaria 50% de todos os contratos efetuados, envolvendo as áreas da Saúde, Transporte e Educação.

No último levantamento realizado pelo Radar no Diário Oficial do Estado, como mostra a matéria intitulada – Governo de Amazonino contrata mais de R$ 146 milhões sem licitação em 4 meses – é possível ter a noção que Amazonino insistia em fazer contratos sem licitação, usando expressões como “emergência, urgência e até calamidade”, não importando se tem a ver com a contratação de guincho para o Detran-AM ou carros para sua casa militar.