Anúncio

CPI para investigar “farra” milionária de dispensas de licitação no Estado já tem sete assinaturas (ver vídeo)

Assim como o Radar publicou, o Governo do Estado tem feito dezenas de dispensas de licitação que custam milhões aos cofres públicos. Nas contas do secretário-geral da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Sabá Reis (PR), já ocorreram 170 dispensas de licitação que atingiram um montante de E$ 199 milhões em contratações diretas.

Essa foi a justificativa dada por Sabá Reis para apresentar pedido de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), a fim de investigar o excesso de dispensas de licitações para valores milionários que foram concedidos pelo Estado, na gestão atual do governador Amazonino Mendes (PDT). Sete assinaturas já foram recolhidas a favor do pedido. Falta apenas uma assinatura para a instalação da CPI já que o Regimento Interno da Casa Legislativa determina a existência de oito assinaturas, 1/3 dos 24 deputados, para a instalação da comissão.

Sabá Reis explica que a proposta de CPI tem como finalidade, investigar as mais de 170 dispensas de licitação, o que representa 50% de todos os contratos efetuados nos últimos cinco meses, envolvendo as áreas da Saúde, Transporte e Educação. “O governador Amazonino alegou que o fez em regime de “urgência”, contudo, isso já soma R$ 199 milhões em contratações diretasEstamos fazendo o nosso papel, visto que o “AMA” solicitou que os deputados ajudem a ‘melhorar sua administração,” enfatizou.

Além do deputado Sabá Reis e do presidente da Casa, David Almeida, outros cinco parlamentares já assinaram o pedido de abertura da CPI: Abdala Fraxe, Francisco Souza, José Ricardo Lula, Luiz Castro e Serafim Corrêa.