CPI para investigar procuradores da Lava Jato e Moro ganha força em Brasília

Líderes da oposição protocolaram no final da noite de sexta (13) um pedido de criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar “a violação dos princípios constitucionais e do Estado Democrático de Direito, em razão da suposta articulação entre os membros da Procuradoria da República no Paraná e o então juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, tornada pública pelo site The Intercept, no mês de junho deste ano”.

A íntegra do pedido está neste link, RCP 5/19.

A série de matérias com o conteúdo do vazamento das supostas mensagens trocadas entre Moro e os procuradores ficou conhecida como “Vaza Jato”. Após a conferência de assinaturas do requerimento de criação da CPI, a Mesa Diretora da Câmara identificou 175 apoiadores, quatro a mais do que o necessário.

“Fomos Enganados”

A Líder do PSL no Congresso Nacional, Joice Hasselman (PSL-SP), afirmou que muitos dos deputados que assinaram o requerimento alegam que foram enganados. Em seu Twitter, ela disse que está com sua equipe “buscando medidas regimentais e jurídicas para enterrar essa aberração”.

Pelo Regimento Interno da Câmara dos Deputados depois que requerimento para a instalação de uma CPI é publicado, no entanto, os nomes não podem mais ser alterados.

Encabeçam o pedido, os líderes André Figueiredo (PDT-CE)Alessandro Molon (PSB-RJ – Oposição)Ivan Valente (Psol-SP)Jandira Feghali (PCdoB-RJ – Minoria)Paulo Pimenta (PT-RS)Tadeu Alencar (PSB-PE); e Daniel Almeida (PCdoB-BA).

Para que a CPI seja criada, o requerimento deve ser lido em Plenário.

*Da Agência Câmara