Criança de 10 anos morre em hospital de Hapvida e pai denuncia negligência 

Foto: reprodução/facebook

Após constatar um sopro no coração, Arthur Areias, de 10 anos, morreu durante um procedimento cirúrgico para correção da doença, no hospital Rio Negro, da rede Hapvida, na zona Centro-Sul de Manaus. A família aponta suposta negligência médica. A denúncia foi feita pelo pai da criança, o advogado Robert Lincoln Areias, em postagens nas redes sociais. 

Segundo ele, com o diagnóstico de sopro no coração da criança houve dois meses de exames pré operatórios e preparos para o procedimento cirúrgico. Conforme o relato do pai, a equipe médica da unidade hospitalar teria garantido que a “cirurgia era simples e iria dar certo”. 

Eu perguntei a todos os médicos que caso o coração parasse se teria algum risco de não voltar a bater e eles me disseram que na hora que liberasse o sangue da máquina de circulação extracorpórea o coração voltaria a bater normalmente e caso não acontecesse existiriam procedimentos, drogas a serem aplicadas, choque, e outras manobras e protocolos que iriam te trazer a vida! Mas esses médicos me enganaram meu filho. Você entrou vivo e andando naquele hospital e saiu de lá morto”, desabafou Lincoln na postagem.

De acordo com o pai, a cirurgia que deveria durar poucas horas, acabou durando aproximadamente 10 horas. “Não foi uma cirurgia de emergência ou urgência. Houve 2 meses de pré operatório e preparo para a cirurgia. Foi uma cirurgia eletiva. Todos os médicos me garantiram o êxito da cirurgia. Eu tive que invadir o centro cirúrgico 3 vezes porque não tinha notícias e eu sabia que havia algo grave (…) aconteceu alguma coisa ali no centro cirúrgico que eu jamais vou saber e os médicos não conseguiram reverter”, escreveu. “(…) meu filho aqueles açougueiros te mataram e eu vou fazer Justiça por você”, completou o advogado.

O caso tem causado comoção nas redes sociais. Nas postagens, Lincoln tem recebido muito apoio de outros pais que também alegam terem perdido os filhos em situações semelhantes no hospital da Hapvida.

Em nota, o cirurgião cardíaco da unidade hospital, George Butel Tavares, que realizou o procedimento no menino, diz que compreende o sentimento do pai, mas classifica a cirurgia cardíaca pediátrica como o “mais alto grau de complexidade” e que “jamais se pode garantir resultados”. Por fim, pede perdão ao pai. Confira a nota na integra aqui. 

Confira publicações de Lincoln Areias nas redes sociais

HOSPITAL RIO AMAZONAS – ANTIGA UNIMED DA RUA BELÉM – HAPVIDA – EQUIPE MÉDICA QUE OPEROU MEU FILHO: Dr. LUÍS SARAIVA e…

Posted by Robert Lincoln Da Costa Areias on Saturday, November 30, 2019

Arthur, meu coração está completamente destruído. Você partiu e levou contigo minha alegria de viver. Filho, você não…

Posted by Robert Lincoln Da Costa Areias on Saturday, November 30, 2019

Meu filho se despedindo de mim! O olhar de medo, pânico e pavor como quem me dissesse: “Papai não me deixe morrer”….

Posted by Robert Lincoln Da Costa Areias on Saturday, November 30, 2019