Crianças de 8 meses e 3 anos eram torturadas pelo padrasto com a omissão da mãe

monstro 5

monstro 4Duas crianças, uma de apenas oito meses e outra de três anos, eram barbaramente espancadas pelo padrasto que tentou até mesmo matá-las através de afogamento e estrangulamento. Esse “monstro”, conhecido por “Jhonata” – segundo a polícia a identificação do agressor não é repassada para que proteger a identidade das crianças -,  de 18 anos, foi preso pelos policiais da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), em cumprimento a mandado de prisão por crime de tortura. A mãe das crianças que vivia com o torturador sabia de todas as agressões e não defendia seus filhos.

O mandado foi cumprido na manhã de hoje, em uma residência, onde também se encontrava a mãe das crianças, no bairro Alfredo Nascimento, na Zona Norte de Manaus. O agressor estava foragido desde o dia 20 de outubro desse ano, quando foi denunciado pelos maus tratos.

A Polícia Civil chegou até o agressor, após receber denúncias de uma conhecida da família que teria ido ao sítio onde o casal vivia como caseiros, localizado no ramal Águas Claras, Km 17, da BR- 174. Ao chegar no local, a mulher percebeu que as crianças apresentavam fortes marcas de agressões pelo corpo e resolveu levá-los ao Hospital Pronto Socorro “Joãozinho”, na Zona Leste de Manaus. Na unidade médica, foi constatado através de exames clínicos, que além de sequelas causadas por agressões físicas, o casal de irmãos de oito meses e três anos de idade, também apresentavam sinais de anemia e desnutrição.

Em depoimento, o padrasto declarou que agredia os enteados porque choravam muito e que não sabia lidar com a situação. As torturas vinham sendo praticadas há quatro meses, tempo em que a mãe das crianças e ele se relacionavam.

monstro 1Entre os relatos de maus tratos, o padrasto confessou ter afogado a menina de oito meses em uma espécie de camburão de água, chegando a enforcá-la até desmaiar, deixando marcas de unhas na menina, e ele ainda teria jogado as crianças em um igarapé. Queimaduras, cortes profundos e golpes causados com pedaços de madeiras também foram relatados pela mãe dos pequenos. Na cabeça de uma das crianças, também era visível a quantidade de tumores. A mãe assumiu a omissão dos atos do companheiro e disse que presenciava todas as agressões.

“Encerramos esse caso com a sensação de dever cumprido, sensação que me preenche como delegada, mas também como mãe e como mulher. É inadmissível constatar que duas crianças completamente indefesas, vinham sendo agredidas há tanto tempo pelas pessoas e que na verdade deveriam zelar pelo bem estar delas. O nosso trabalho na Especializada vem sendo intensificado cada vez mais para diminuir e elucidar ocorrências como essa”, ressaltou a responsável pelas investigações e Titular da DEPCA, Delegada Linda Gláucia.

“Jhonata” foi encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa e responderá pelo crime de tortura. Além de perder a tutela dos filhos a mãe também foi indiciada por tortura e responderá em liberdade. Os irmãos agredidos, permanecem acolhidos desde o dia 20 de outubro e sob os cuidados do Serviço de Atendimento Institucional (SAI), situado na avenida Silva Ramos, Centro de Manaus, na Zona Sul da capital.

monstro 2

monstro 3