Crise portuária encarece produtos em todo o mundo e parece longe de acabar

Empresas de logística esperam que a crise de abastecimento comece a ser resolvida apenas no primeiro trimestre do ano que vem

Getty Images

Mais de 18 meses após o início da pandemia, a interrupção das cadeias de suprimentos globais está piorando, estimulando a escassez de produtos de consumo e tornando mais caro para as empresas o envio de mercadorias para onde são necessárias.

Problemas não resolvidos e o surgimento de novos problemas, incluindo a variante Delta, significam que os compradores provavelmente enfrentarão preços mais altos e menos opções nesta temporada de compras. Empresas como Adidas, Crocs e Hasbro já estão alertando sobre interrupções enquanto se preparam para o período crucial de final de ano.

“As pressões sobre as cadeias de suprimentos globais não diminuíram e não esperamos que isso aconteça em breve”, disse Bob Biesterfeld, CEO da CH Robinson, uma das maiores empresas de logística do mundo.

O último obstáculo está na China, onde um terminal no porto de Ningbo-Zhoushan, ao sul de Xangai, está fechado desde 11 de agosto, depois que um funcionário testou positivo para Covid-19. As principais companhias marítimas internacionais, incluindo Maersk, Hapag-Lloyd e CMA CGM ajustaram os horários para evitar o porto e estão alertando os clientes sobre atrasos.