Cruzeiro e São Paulo vencem e diferença continua de 5 pontos

zerooNão era jogo para cumprir tabela. Mas bem parecia. Com uma mínima inspiração no início da partida, o Cruzeiro definiu sua 19ª vitória na competição contra um Botafogo nervoso, que entregou rapidamente dois gols em falhas individuais e que só mostrou alguma reação no segundo tempo. Com 2 a 0 até os acréscimos – gols de Marquinhos e Egídio – diante de quase 36.004 pagantes (37.768 presentes, com renda de R$ 1.807.922), o relaxamento da Raposa por pouco não ameaçou o resultado positivo, quando Léo fez contra após cruzamento despretensioso para a área mineira. Nada que pudesse ameaçar muito o líder isolado do Brasileiro.

Ainda cinco pontos na frente do segundo colocado São Paulo, o Cruzeiro, com 64 pontos, administra boa vantagem para conquistar o título. No próximo domingo, pela 33ª rodada, o time de Marcelo Oliveira enfrenta o Criciúma, no Mineirão, às 19h30.

Com 33 pontos, o Botafogo segue na zona de rebaixamento – 18º lugar – e ameaçado de jogar a Segunda Divisão em 2015. Na próxima rodada, o time alvinegro enfrenta o Atlético-PR em Volta Redonda, às 21h, no estádio Raulino de Oliveira.

são paulo

São Paulo

O elenco do São Paulo é recheado de jogadores renomados, que estão entre os melhores do Brasil. E, neste domingo, contra o Criciúma, no Heriberto Hulse, isso fez a diferença mais uma vez. Com um gol de Alan Kardec na reta final do segundo tempo, o Tricolor venceu por 2 a 1, apesar de uma atuação sem brilho. A qualidade individual garantiu os três pontos e manteve a equipe na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Edson Silva marcou o primeiro com passe de Michel Bastos, enquanto Souza fez o dos catarinenses.

Não é exagero dizer que o Tigre foi melhor em boa parte do confronto, empurrado pela torcida e pressionado para sair da lanterna. Não adiantou. O time segue com 30 pontos, na última posição. Por outro lado, o São Paulo, eficiente em campo, continua na vice-liderança, com 59, cinco atrás do Cruzeiro, que venceu o Botafogo em casa por 2 a 0.

Na próxima rodada, o Criciúma viaja para enfrentar o Cruzeiro, no domingo, às 19h30, no Mineirão. O Tricolor também joga fora, no mesmo dia, contra o Vitória, às 17h, no Barradão.

flamengoFlamengo

A confusão ficou para trás. Com atuação empolgante de alguns de seus reservas, especialmente no segundo tempo, o Flamengo derrotou a Chapecoense por 3 a 0, neste domingo, no Maracanã, e praticamente se livrou do risco de rebaixamento, deixando os catarinenses em posição incômoda. Apesar do triunfo, conquistado com gols de Anderson Pico e Nixon (2), titulares nesta noite, nem tudo foi festa para o time carioca no Maracanã.

Antes do jogo, havia a preocupação do técnico Vanderlei Luxemburgo em perder jogadores para a decisiva partida desta quarta-feira pela semifinal da Copa do Brasil, contra o Atlético-MG. Chicão, João Paulo e Eduardo da Silva foram poupados, começando no banco. Gripado, Cáceres sequer foi relacionado. No entanto, ainda no primeiro tempo, Léo Moura – que perdeu um pênalti – e Gabriel foram substituídos com dores na coxa e preocupam para o duelo do Mineirão, às 22h. Luiz Antonio, na segunda etapa, saiu com dores no ombro. No Rio, o Fla venceu o Galo por 2 a 0.

palmeirasPalmeiras

Conquistar três pontos fora de casa contra um adversário direto na luta contra o rebaixamento é muito mais importante do que jogar bem, ao menos no atual momento do Palmeiras. Depois de dois empates dolorosos contra Cruzeiro e Corinthians, ambos com gols sofridos no final dos jogos, o Verdão soube segurar o 1 a 0 sobre o Bahia, neste domingo, na Arena Fonte Nova, e se vê mais longe do Z-4.  O duelo era fundamental porque a equipe baiana também está no grupo de desesperados – a derrota em casa pode fazer a diferença no fim ao Tricolor.

O Palmeiras não precisou de uma grande atuação coletiva, apenas de um toque genial do capitão Valdivia, autor da assistência para o gol de Mazinho, ainda no primeiro tempo, que decidiria o jogo. O Bahia pressionou pelo empate no fim, mas não conseguiu. Após o apito final, uma discussão entre Wesley e William Barbio deu origem a uma confusão que começou no gramado e se estendeu até o túnel que leva aos vestiários da Fonte Nova.