Cine Teatro Guarany exibirá curtas-metragens do cineasta Davi Marinho

Dezesseis curtas-metragens do cineasta Davi Marinho serão exibidos no Cine Teatro Guarany (avenida Sete de Setembro, 1.546, Centro, zona sul), neste sábado (18), às 18h. Com entrada gratuita e classificação indicativa para 12 anos, os curtas abordam diversos aspectos, como política, comédia e terror.

De acordo com Davi, as obras são produzidas por ele, como assistente e diretor, a partir de 2002, ano em que compôs a equipe do primeiro curta-metragem. Dentre os 16 filmes, três são obras inéditas: a animação em Stop Motion “Incondicional” (1min20seg, 2016), e os filmes “Você fuma?” (1min20seg, 2016) e “Estranhos” (8min, 2019).

“Rever e relembrar os trabalhos iniciais e apresentar os trabalhos novos, juntamente com a equipe que trabalhou comigo, será uma forma de perceber a evolução das produções. Quero apresentar a cultura que fazemos por aqui a eles e espero que saiam satisfeitos”, comenta Marinho.

O cineasta explica que as obras produzidas desde 2002 abordam diversas temáticas, mas atualmente, Davi Marinho tem se dedicado aos filmes de terror.

“Costumo trabalhar variações. Comecei trabalhando a questão política, falava a desvalorização da educação, fiz comédias. É bem versátil. Vou trabalhando por várias nuances”, destaca.

A exibição faz parte da “Mostra de Cineastas Amazonenses”, que integra a programação do Cine Clube de Artes e tem como objetivo de divulgar e dar mais visibilidade à cinematografia produzida por artistas locais.

O cineasta

Davi Marinho é manauara, 37 anos. Estudou teatro desde a infância em cursos livres. Em 2002, ingressou no Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, onde começou a se interessar por cinema. Participou, no mesmo ano, da oficina de produção de roteiro e curta-metragem com o cineasta Junior Rodrigues, na Livraria Valer, onde começou a escrever e produzir. Tem duas formações (Biblioteconomia e Publicidade) e uma Especialização em Comunicação e Semiótica. Atualmente, é concluinte no curso online de Cinema e Audiovisual do Instituto Cotemar (Bahia).

Davi Marinho selecionou para a mostra os seguintes curtas-metragens em que atuou como assistente e diretor:

“O DUELO” (1.2min, 2002) – Primeiro trabalho de Davi Marinho como assistente de direção e premiado no primeiro festival de curtas de um minuto do Amazonas, o curta retrata a história de uma velhinha, que reage a um assalto à mão armada, de forma surpreendente.

“ACASO, DESTINO OU ALGO MAIS?” (4min, 2010) – Esta ficção coloca em evidência a questão do racismo.

“SINTA” (3.15min, 2010) – Um casal se despede em mais um dia de trabalho, mas a esposa tem um pressentimento ruim.

“190 – EMERGÊNCIA” (1.2min, 2011) – O curta aborda as ligações telefônicas prejudiciais, conhecidas como trote, que acabam atrapalhando o serviço da Polícia.

“O PRESENTE DE LUÍZA” (1.2 min, 2011) – Um jovem tenta de várias maneiras conquistar sua amada, mas a forma como ele consegue não é nada convencional.

“TRABALHO ESCOLAR” (1.2min, 2011) – Este curta trata da relação entre pai e filho.

“QUE PAÍS É ESSE?” (1.2 min, 2014) – O curta questiona a valorização do professor e das pessoas que agem de má fé para conseguirem se dar bem na vida.

“AMIZADE” (1.2min, 2015) – Em sua primeira experiência com animação, Davi Marinho faz uma homenagem a Roberto Bolaños (in memorian), ator mexicano, famoso pelo personagem Chaves.

“AMOR MALANDRO” (1.2min, 2015) – Essa comédia retrata o relacionamento conturbado de um casal que se ama, mas sempre briga.

“INCONDICIONAL” (1.2min, 2016) – Em sua segunda animação com fotografias, Davi Marinho aborda o tema “inclusão e representatividade”.

“VOCÊ FUMA?” (1.2min, 2016) – Obra inédita. Em forma de conscientização na luta contra o tabagismo, o curta apresenta um diálogo entre uma criança de rua e um homem bem sucedido.

“AMOR AO PRÓXIMO” (17min, 2016) – Idealizado como uma campanha de conscientização sobre doação de órgãos e dirigido por Jairo Freitas, que na época esperava um transplante de fígado, o curta conta a história de um acidente fatal com uma jovem, dando esperança a Jairo para uma possível doação. Mas o grande desafio é fazer com que a família da jovem aceite  doar o órgão.

“A MESA” (18min, 2017) – Vencedor de um concurso cultural de roteiros, o filme conta a história de uma jovem que retorna a sua terra natal e, a cada esquina, relembra o passado.

“O PALHAÇO” (20min, 2017) – Um homem tem fixação por palhaços ao ponto de prejudicar seu próprio casamento.

“RUTH – VAMOS FALAR DE MEDO?” (17 min, 2018) – Nesse curta, a personagem Ruth tem medo de ficar sozinha e do escuro. O que acontece quando essas duas situações se encontram em um dia qualquer?

“ESTRANHOS” (8min, 2019) – Um relacionamento entre dois jovens parece não estar indo bem. Eles praticamente não se falam e o motivo poderia estar relacionado com a mãe da garota.

 

Serviço: Exibição de curtas-metragens de Davi Marinho

Data/ Hora: 18 de maio, sábado, às 18h

Local: Cine Teatro Guarany (Avenida Sete de Setembro, anexo do Centro Cultural Palácio Rio Negro, 1546, Centro)

Entrada: Gratuita

Classificação: Livre

 

(*) Com informações da Secretaria de Estado de Cultura