Anúncio Advertisement

Cultura do ódio e da violência propaga chacinas no Brasil, aponta José Ricardo

A tragédia na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, São Paulo, nessa quarta-feira (13), que resultou na morte de dez pessoas, chamou atenção para a cultura do ódio e da violência no País. Para o deputado federal José Ricardo (PT), a chacina traz à tona as discussões em torno de política de liberação da posse e de acesso a armas no Brasil, idealizada pelo presidente da República Jair Bolsonaro (PSL).

Para o deputado, não é uma política de posse e de acesso a armas, intensamente defendida e propagada por alguns segmentos da sociedade, que irá solucionar os problemas do Brasil. “Pelo contrário, a violência vai aumentar. Eu me lembro do gesto do presidente, ainda candidato, ensinando uma criança a fazer o gesto de uma arma”, defendeu José Ricardo.

Segundo ele, o presidente da República é um dos responsáveis por essa cultura de ódio e de violência que assola o País e que pode suscitar pessoas a praticar tragédias como a que ocorreu na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano.

“A superação da violência só se dará com mais investimentos na educação, na cultura, no esporte e emprego e renda para a população, ao invés de propagar mais violência, por meio das armas”, disse o parlamentar amazonense.

José Ricardo foi um dos parlamentares que se manifestou contrário à aprovação do decreto que facilita a posse de armas de fogo, proposto pelo presidente, em janeiro deste ano. O deputado voltou a defender, nesta quarta, no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, políticas públicas para a juventude a partir da inclusão e de oportunidades ao contrário de incentivo à violência ou uso de armas, como se prega no novo Governo Federal.

Com informações da assessoria do parlamentar.