Curso de artesanato inova com produção de tinta caseira

Introdução à produção de tinta caseira foi o tema da aula de artesanato dessa sexta-feira (20), na sede da Manaus Previdência, em uma parceria com a Escola de Serviço Público Municipal e Inclusão Socioeducacional (Espi). O pó de café resulta na cor marrom. Do urucum vem a cor laranja. Do açafrão, a amarela, por exemplo. A proposta é aliar inovação, economia e possibilidade de renda extra.

O processo de produção de tinta artesanal é simples: basta misturar água, trigo e sal e algum componente para coloração, como a beterraba e a cenoura.

“Com o uso de material caseiro, nossos alunos colaboram com o meio ambiente a partir do reaproveitamento de coisas que seriam jogadas fora, e ainda podem gerar uma renda extra comercializando as produções”, conta a professora Judite Melo, da Espi.

Durante o curso, são enfatizadas confecções de objetos à base de jornais e revistas, além de outros materiais recicláveis, transformando-os em porta-pratos, carrocinhas e peças decorativas as quais as tintas produzidas serão aplicadas. “Não há nenhum empecilho para não realizar uma atividade como esta. É fácil, rápida e beneficia todos nós”, afirma Melo.

A próxima turma de artesanato começa no dia 25 de maio, com ênfase em trabalhos com crochê, com uma nova instrutora.