Curso de colônia de férias tira menores dos sinais de trânsito

No dia 26 de janeiro, sexta-feira, a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) estará oferecendo os cursos de teatro, dança e desenho na colônia de férias “De férias sim, nas ruas não”, que faz parte do projeto “Sinaleiras”, promovido pelo Governo do Estado do Amazonas. O cartunista Rogério Mascarenhas, também conhecido como Romahs, é um dos colaboradores da ação que fala sobre a experiência de modificar, por meio da arte, parte da realidade de crianças e adolescentes que trabalhavam em sinais.

O cartunista ministra o curso de “Técnicas de Mangá” para crianças de 3 a 6 anos no turno matutino, e para adolescentes de 14 anos no turno vespertino, o artista considera a experiência uma forma de se tornar cada vez mais versátil.

“O maior desafio para mim, neste projeto, é ensinar para crianças de diferentes idades. A forma de lidar com o que eu vou mostrar para cada turma é diferente. A arte para crianças é mais lúdica e livre, para adolescentes eu posso usar a metodologia e as técnicas”, comenta.

Romahs, além de cartunista, é quadrinista. Ele tem parceria com o Mauricio de Sousa, Produções em publicações como “A Turma da Mônica Jovem”. Recentemente, atuará como professor do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro onde voltará a lecionar em 2018. O cartunista conta que a vontade de aprender dos novos artistas é que mais lhe chama a atenção, na colônia de férias.

“As aulas estão acontecendo a todo vapor e a sala está sempre cheia. O engraçado é que eles (as crianças) chegam com muita vontade de tirar as dúvidas e, às vezes, pedem pra eu explicar e repetir as atividades que eles mais gostaram nas aulas anteriores”.

Neste curso, Romahs explica que procura destacar personagens conhecidos do desenho em mangá infantil como “Naruto”, ”Dragon Ball Z” e “Cavaleiros do Zodíaco”, para acelerar o aprendizado da turma.

Romahs destaca, ainda, que observa a admiração dos alunos ao descobrirem a utilização de instrumentos de desenho e pintura. E que muitas vezes eles não estão acostumados a usar um lápis aquarelado, a fazer pinturas e desenhos e pode ver que eles acham tudo isso fascinante e encantador.