Curso pra tapar buracos!!??

Um assessor do vice-prefeito, e secretário de Infraestrutura do Município, Hissa Abraháo, comenta em voz alta, naquele tom de quem quer mostrar que o chefe é “o último biscoito do pacote ”, que Hissa vai passar três semanas nos Estados Unidos participando de um curso sobre administração pública. E, basta o assessor dar uma parada no que estava falando, para um ouvinte perguntar: “E precisa de curso pra tapar buraco?”. A ironia calou o assessor.

Bosco filosofando

Quem tem conhecimento sobre filosofia, percebeu quase que instantaneamente que o presidente da Câmara Municipal de Manaus, vereador Bosco Saraiva (PSDB), parafraseou o filósofo Heráclito de Éfeso, para explicar ao vereador Marcelo Serafim (PSB) as razões para a mudança do ordenamento, por parte da Mesa Diretora, para os pedido de vistas, referentes a uma determinada matéria. Bosco referiu-se à eterna e inevitável transformação das coisas, lembrando que nem mesmo um rio é o mesmo a cada instante. Dizia o filósofo Heráclito: “Não podemos entrar duas vezes no mesmo rio. Isto porque, quando entro, pela segunda vez no rio, tanto eu, quanto ele, já estamos mudados”. Sábias palavras!

Poder passageiro

E já que o presidente Bosco Saraiva usou as premissas de Heráclito, sobre a eterna mutação das coisas, é bom que lembre (e faça uso) do que Heráclito ainda ensina sobre o tema quando diz: “Tudo flui. Tudo está em movimento e nada dura para sempre”. Isso só vem a confirmar como o poder é passageiro, não é mesmo?

Sem homenagem

O vereador Waldemir José (PT) bem que tentou “vender gato por lebre”, para seus colegas de parlamento alegando que a homenagem póstuma para Hugo Chaves nada mais era do que um ato de solidariedade para com o povo venezuelano. Não colou! Os demais vereadores demostraram não querer nem lembrar do nome de Chavez. “Ele foi um ditador, um facínora, que levou seu país a bancarrota. Dizem que vaso ruim não quebra, mas graças a Deus, esse quebrou cedo para o bem do povo da Venezuela”, argumentou Carijó. Foi pedido vistas do projeto.

Disk-Tudo

Já é o segundo projeto de denúncias por telefone criado pelo deputado petista José Ricardo Wendling. Na terça-feira, ele propôs a criação do Disk-Escola, uma linha telefônica que seria disponibilizada pelo Governo do Estado para que população pudesse fazer reclamações sobre problemas no ensino público. Ontem (20), ele apresentou projeto para a criação do Disk-Saúde, mais uma linha telefônica disponível para que o cidadão possa denunciar o descaso no atendimento da saúde pública e o abandono dos hospitais. Do jeito que a coisa anda na educação e na saúde, ia faltar linha telefônica pra tanta reclamação.