Dallas chama de “carpideiras de Melo” apoiadores do Governo em favor do “reordenamento” na saúde

dallas 08

O clima ficou tenso na Assembleia Legislativa do Amazonas, durante apresentação do plano de cortes na área de Saúde elaborado pelo Governo do Estado.

O deputado estadual Wanderley Dallas (PMDB) participou da reunião e disse que é contra o fechamento das unidades de saúde. “O Governo do Estado deve encontrar outros meios para economizar dinheiro, ao invés de fechar maternidades e postos de saúde”, afirmou o deputado.

Antes da reunião começar, dezenas de pessoas ocuparam a galeria da Assembleia Legislativa. Elas se mostraram favoráveis ao fechamento de maternidades, pronto socorros, Caimis e Caics na cidade de Manaus.Wanderley Dallas (PMDB) disse que estas pessoas não representam a vontade da população da capital.

Dallas ressaltou que os manifestantes que ocuparam a galeria eram semelhantes às ‘carpideiras’ que existem em várias regiões do Brasil, mas principalmente no Nordeste. “As carpideiras são mulheres cuja ‘profissão’ é chorar por defuntos que nunca viram”, lembrou Dallas.

Segundo o deputado, quando ficam sabendo de um velório, as carpideiras se oferecem para chorar pelo defunto alheio em troca de alguns trocados. “Após fechado o acordo, elas caem em prantos sem nenhum sentimento ou grau de amizade”, explicou Dallas.

O deputado afirmou, no plenário da Aleam, que o Governo do Estado contratou dezenas de ‘carpideiras’ para aplaudir o fechamento das unidades de saúde em Manaus. “Estas carpideiras não choram, apenas aplaudem”, ironizou Dallas.

O deputado destacou que, enquanto em todos os bairros da capital ocorrem manifestações pedindo que unidades de saúde continuem funcionando, “as ‘carpideiras do governador José Melo’ gritam de forma histérica que as maternidades, pronto socorros, Caics e Caimis devem ser fechados o mais rápido possível”.

Dallas estima que as carpideiras foram contratadas, a peso de ouro, com dinheiro público, para defender o governador José Melo e sua ideia absurda de fechar as unidades de saúde.

“No mesmo instante que as carpideiras histéricas xingavam deputados que são contra o projeto do governo, do lado de fora da Assembleia um outro grupo de manifestantes era impedido de entrar na casa do povo”, disse Dallas.

O grupo, carregando faixas e cartazes, pedia que o governador José Melo e o secretário de Saúde, Pedro Elias, mudassem de ideia quanto ao fechamento das unidades de saúde.

O protesto foi em vão, pois os seguranças da Assembleia Legislativa barraram os manifestantes, não deixando que entrassem no plenário. “Se o plano diabólico do Governo do Estado for colocado em prática, com maternidades e outras unidades de saúde fechando as portas, restará às carpideiras chorarem de verdade quando procurarem atendimento médico e não encontrarem”, acrescentou o deputado. “Não quero aplausos pagos com dinheiro público. Destes, prefiro as vaias”, concluiu o deputado.