Dallas dá um “cruz credo” em Silas Câmara e agora é membro da igreja Tradicional

Há tempos insatisfeito com os métodos – na opinião de euzinha nada cristãos – usados pelo deputado federal, Silas Câmara, para levar a cabo um projeto político particular que se confronta com os preceitos evangélicos, o deputado estadual Wanderley Dallas agora é membro da Assembleia de Deus Tradicional, a denominação evangélica que mais cresce no Amazonas.

Resgatando hábitos e costumes, esquecidos pelas novas congregações e até por algumas mais antigas, a Tradicional tem conquistado a adesão de pessoas de todas as áreas da sociedade e na última segunda-feira, em pleno Carnaval, recebeu como membro o deputado e pastor Wanderley Dallas (PMDB), egresso da Assembleia de Deus no Amazonas (IEADAM), comandada pelos irmãos Câmara.

Entre as várias dissidências da IEADAM ao longo dos últimos 20 anos, a Tradicional foi a que mais deu certo. Em pouco mais de 16 anos de atuação, a Igreja já tem 380 templos em Manaus e está presente em todos os municípios do Estado.

No total, são 800 pastores trabalhando sob a presidência do pastor Gedeão Granjeiro Fernandes de Menezes, neto de um dos pioneiros da Assembleia de Deus no Amazonas, Benjamin Matias Fernandes. Em alguns municípios, como Canutama, a nova denominação já é maior do que aquela que lhe deu origem.

A dissidência ocorreu no ano 2000, comandada pelos pastores Edson Alves, já falecido, e Jessé Leandro, ainda na ativa e comandante da congregação em Manacapuru. Ela se deveu basicamente a uma questão doutrinária: a IEADAM decidiu abraçar o G-12, doutrina que baseia toda a organização da Igreja em células, abandonando o antigo sistema. Lideranças que discordavam da nova formatação, e das inovações dela decorrentes, decidiram criar uma nova denominação.

O único político com mandato que se aproximou da Igreja até então tinha sido o deputado Doutor Gomes (PSD), que no entanto jamais teve atuação eclesiástica na instituição.

Há dois anos, Dallas decidiu romper com o projeto político comandado pelo deputado Silas Câmara, dentro da IEADAM, por discordar dos métodos empregados. Ele evitou, entretanto, se desligar da Igreja e passou a frequentá-la apenas como membro comum, e não como pastor ou liderança.

Desde o final do ano passado, entretanto, ele se aproximou do pastor Gedeão e de outras lideranças da Tradicional, que já tiveram atuação política, como o ex-prefeito de Manaus e ex-deputado federal José Fernandes, e o ex-deputado estadual Miquéias Fernandes.

“Confesso que me emocionei ao comparecer às primeiras reuniões, porque me senti no início de minha vida cristã, quando me converti ao Evangelho, ainda na década de 70”, disse ele.

Daí foi um pulo para se unir a membresia da Tradicional. Convidado oficialmente pela Igreja, ele foi recebido, junto com toda família, na última segunda-feira. A recomendá-lo, uma carta do presidente nacional da Assembleia de Deus, José Wellington Bezerra.

“Eu tive o privilégio de conviver com os pioneiros, como o pastor Benjamim e o grande Alcebíades Pereira Vasconcelos. Aprendi muito com eles, fui discípulo e aluno. Sinto que aqui se valoriza mais estes baluartes. Estou em casa”, disse o deputado Dallas.

O parlamentar ainda não quer falar de atuação política na Igreja. “Eles são diferentes. Senti que não querem ter o político ao lado deles, e sim o Dallas irmão, cantor, membro da congregação. Fui extremamente bem recebido. Eu e minha família”, festejou. “O futuro Deus decidirá”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Imprensa