David denuncia perseguição a servidores públicos e chama os profissionais para lutarem juntos

Na passagem pelos municípios de Autazes e Nova Olinda do Norte, o candidato ao governo do Estado pela coligação Renova Amazonas, David Almeida (PSB), declarou que corre nas suas veias o sangue do guerreiro indígena Ajuricaba, depois de afirmar que nenhum clima de perseguição aos funcionários públicos do Estado e dos municípios, vai intimidá-lo a desistir de seguir na campanha, até o fim. Disse ainda que nunca vai se aliar com governos como o que está hoje no Estado e chamou o eleitorado a fazer resistência nessa reta final da primeira etapa do pleito, como forma de reforçar a chegada ao segundo turno.

David disse que, nas ruas de Autazes e de Nova Olinda do Norte, ouviu o clamor de insatisfação e sentiu clima de perseguição por parte dos prefeitos aliados do atual governador. “Eles (governador e prefeitos) proíbem os funcionários públicos de ir nos receber na chegada à cidade. Eles proíbem as pessoas de falarem comigo. Mas sabe o que acontece quando chega o governador na cidade? O povo todo vai, mas não vai votar nele, porque as pessoas de bem já estão cansadas de governos que só querem mostrar trabalho em época de eleição”, disse.

O candidato da coligação Renova Amazonas contou aos moradores de Autazes e de Nova Olinda que o atual governador recebeu um não dos professores. Segundo ele, o governador mandou chamar todos os diretores do Estado para uma reunião em Manaus. “Ele encheu uma casa de show, colocou os diretores todos dentro de um hotel, com ar condicionado, almoço, jantar e transporte. Quando fez a reunião dele, no final ele perguntou aos professores: “nós podemos contar com vocês? Os professores disseram não”, contou.

David lembrou que, no ano passado – quando foi governador interino -, ele foi a Autazes, vendo só poeira e lama. “Eu deixei R$ 402 milhões em caixa para asfaltar as ruas do interior, os ramais e vicinais. Para Autazes, foram três ramais para os quais eu dei ordem de serviço, além do ramal do Rosarinho. Mas o atual governador, quando assumiu em outubro do ano passado, foi lá no Tribunal de Contas do Estado (TCE) mandar parar a obra. Sabe por quê? Para punir o deputado David. Mas sabe quem ele puniu? O povo de Autazes. O governador veio aqui, ganhou o voto da população e depois escolheu punir o povo. É muita maldade”, observou.

Em Nova Olinda, David lembrou que, quando o TCE ainda não tinha impedido o seu governo de executar investimentos necessários para os municípios, ele conseguiu devolver o Festival Folclórico da cidade, além de asfaltar uma estrada importante para o município. “Tive a alegria de autorizar, quando fui governador, o repasse de recursos para o Festival Folclórico, que estava desde 2015 sem ser realizado; de entregar a Estrada do Fontinelli e dar ordem de serviço para a obra da orla. Mas ainda há muito a fazer para tornar a vida de vocês bem melhor”, disse.

O candidato que, no passado, pagou o maior abono da história do Fundeb no Amazonas, afirmou que a sua proposta é tornar o Amazonas um Estado campeão em educação. “Os governantes nunca valorizaram os professores. A educação nunca foi prioridade para o atual e outros tantos ex-governadores, porque isso é uma estratégia de se manter no poder. Quanto menos educação tiver o povo, quanto menos informação tiver o povo, eles continuam no poder. A partir do momento em que o povo tiver informação e educação de qualidade, nós nunca mais elegeremos políticos como Amazonino”, frisou.

Matéria de responsabilidade da assessoria do candidato