David elogia Pazzuello mesmo com anúncio de campanha de vacinação sem ter vacina

Foto: Reprodução

Mesmo que a vacinação de pelo menos 70% da população do Amazonas e, mais precisamente, da população de Manaus seja a única alternativa apontada pelos cientistas para reduzir os crescentes índices de contaminação por coronavírus e, consequentemente, a mortalidade por Covid-19, o prefeito de Manaus, David Almeida, minimizou a atitude do ministro da Saúde, general Eduardo Pazzuello, que anunciou campanha de vacinação, a partir da segunda-feira, 22 de fevereiro, sem ter vacina. Até agora não foi definida uma nova data.

O anúncio da vacinação de pessoas entre 50 e 69 anos foi feito pelo ministro no dia 15 de fevereiro, inclusive com distribuição de release para a imprensa do Amazonas, induzindo ao erro os veículos de comunicação do Estado.

O prefeito de Manaus, imitando o estilo Bolsonaro de fazer gestão pública em redes sociais, usou seu Instagram para dizer que a vacinação da população do Estado, frustrada pela falta de vacina, “em nada diminui os esforços do ministro e da prefeitura”.

E como se pudesse mandar na opinião pública, David disse que “qualquer afirmação diferente desta deve ser desacreditada” – pelo jeito tão desacreditada quando a campanha de vacinação fake do ministro da Saúde.

“O Governo Federal, por meio do ministro da Saúde, Eduardo Pazzuello, tem sido um grande aliado de Manaus no combate à Covid-19”, elogiou David Almeida esquecendo de explicar porque os aliados dele e do governador Wilson Lima não viram urgência em socorrer o Amazonas com oxigênio assim que souberam que dezenas de pessoas iam morrer com a falta do insumo nas unidades de saúde do Estado.