David Reis vai gastar mais de R$ 1,7 milhão com medalhas e materiais institucionais

A empresa que fornecerá o material é a Marca Brasil Comércio e Serviços Gráficos Ltda

FOTO: ROBERVALDO ROCHA / CMM

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador David Reis (Avante) pretende gastar mais de R$ 1,7 milhão de reais dos cofres públicos da cidade com medalhas, placas, diplomas e materiais institucionais. A aquisição foi publicada no Diário Oficial da Casa Legislativa nessa quarta-feira (24).

Conforme o Registro de Preços Nº 008/21 (disponível no final da matéria) serão adquiridos quase 32 mil itens. A empresa fornecedora é a gráfica Marca Brasil Comércio e Serviços Gráficos Ltda, inscrita no CNPJ é 06.889.405/0001-09.

Confira a lista completa dos materiais cotados:

  • 100 placas comemorativas – R$ 51.500,00;
  • 100 medalhas de latão – R$ 44.000,00;
  • 50 medalhas de metal – R$ 27.350,00;
  • 100 diplomas em aço – R$ 58.000,00;
  • 500 plaquetas de metal – R$ 21.000,00;
  • 200 portas diplomas de papel – R$ 77.400,00;
  • 2000 diplomas de papel – R$ 47.800,00;
  • 2000 metros² de lona para banner e faixa – R$ 120.200,00.

O Radar entrou em contato com a CMM para questionar qual a necessidade de gastar este enorme valor com materiais institucionais, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.

Alarme e TV digital 

Recentemente o presidente da CMM, David Reis homologou outro contrato no valor de quase meio milhão de reais, para investimentos na Casa Legislativa. O contrato no valor de R$ 489.600,00 (quatrocentos e oitenta e nove mil e seiscentos reais) foi destinado para contratar uma empresa especializada em prestação de serviços de instalação, manutenção preventiva e corretiva do Sistema Fechado de Televisão (CFTV) digital (TV Digital), e Sistema de Alarme com o fornecimento de peças, equipamentos e insumos.

‘Puxadinho’

Apesar de ter assumido sua gestão neste ano, o presidente da CMM vereador David Reis à frente coleciona uma série de gastos exorbitantes, entre eles, o anexo da Câmara, o famoso “puxadinho”, no valor de quase R$ 32 milhões.

Em outubro deste ano, o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) suspendeu o processo licitatório que viabilizava a construção do segundo prédio anexo na Câmara Municipal de Manaus (CMM).Com a decisão assinada pelo juiz Francisco Queiroz, da 5ª Vara da Fazenda Pública, o vereador David Reis sofreu a quarta derrota na Justiça.

Veja registro de preço do pregão na íntegra