David Reis vai gastar quase R$ 17 mil em contrato com dispensa de licitação

Presidente da Câmara Municipal de Manaus vem colecionado escândalos em sua gestão

FOTO: ROBERVALDO ROCHA / CMM

O presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador David Reis (Avante), aprovou na quinta-feira (16) a contratação de uma empresa para fornecer “materiais de copa e cozinha” para atender as “necessidades’ da casa legislativa. O que chama atenção é que a aquisição acontece com dispensa de licitação, ou seja, sem concorrência pública. (documento disponível no final da matéria)

A empresa contratada foi Cristian Socorro Matos D Aguiar, de nome fantasia CW Serviços, cujo CNPJ é 36.954.445/0001-58. De acordo com dados da Receita Federal, a atividade econômica principal da empresa é o comércio de cosméticos, perfumaria e higiene pessoal. Já na lista de atividades secundárias ,a empresa é a famosa “faz tudo” – que trabalha desde a venda de materiais de construção até produção de cinematográfica de vídeos e programas de televisão.

De acordo com o documento publicado no Diário Oficial da casa legislativa, a empresa vai receber R$ 16.994,50 (dezesseis mil, novecentos e noventa e quatro reais e cinquenta centavos).

A reportagem procurou a Direção de Comunicação (Dircom) da CMM para ter acesso aos detalhes do contrato, como a descrição dos itens e a quantidade que será adquirida, mas até a publicação desta matéria não houve resposta.

Escândalos

Em menos de um ano, a gestão de David Reis vem colecionando escândalos na Câmara Municipal de Manaus. Na quinta-feira (16), o Radar Amazônico mostrou que dois vereadores vão entrar na justiça para tentar impedir a construção de um ‘puxadinho’ no complexo da casa legislativa e que vai custar quase R$ 32 milhões aos cofres públicos.

Além desse caso, David também autorizou a contratação de uma locadora de veículos para fornecer 41 picapes para a CMM, mesmo com um contrato de aluguel de veículos em vigor até 2022.

Outro caso que chamou atenção e gerou revolta na sociedade aconteceu em junho deste ano, quando o presidente da CMM autorizou a contratação de uma empresa para serviços de telefonia e internet por quase R$ 2 milhões.

Despacho