De novo! TRE adia pela segunda vez conclusão do julgamento de Melo, faltando apenas um voto

TRE-AM

O juiz que pediu vistas do processo, Marcio Rys Meirelles, estava no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para manifestar seu voto, o único que resta para o fim do julgamento do governador José Melo e de seu vice, Henrique Oliveira, por “captação ilícita de votos”, o mesmo que compra de votos – cinco juízes já manifestaram voto pela cassação.

Assim como na segunda-feira dessa semana, dia 18, o juiz Marcio Rys Meirelles não pôde manifestar seu voto porque a sessão foi adiada novamente, sob a mesma alegação, de que todos os juízes que estiveram na primeira sessão de julgamento têm que estar presentes. Desta vez, a presidente do TER, desembargadora Socorro Guedes estava, mas o juiz Dídimo Santana continuou ausente.

Os advogados da coligação “Renovação e Exepriência”, do ex-candidato ao Governo e ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, que move a ação contra o governador José Melo bem que tentaram que o julgamento fosse concluído lembrando, como fizeram na segunda-feira quando houve o primeiro adiamento, que o juiz Dídimo Santana, já declarou seu voto pela cassação. Mas, não adiantou. Os membros do tribunal, por unanimidade, decidiram que não haveria sessão de julgamento.

A previsão, extraoficialmente falando, já que a presidente do TRE não disse nada sobre o assunto, é para que ocorra o encerramento do julgamento na próxima segunda-feira (25) quando o juiz Dídimo Santana já deve estar presente. Mas, isso é apenas um exercício de “vidência” já que podem surgir novos imprevistos nessa história. (Any Margareth)