Decisão de Artur Neto: Wilker Barreto é seu candidato à presidência da CMM, Hiram Nicolau é o 1 º vice e Elias Emanuel é o novo líder

Wilker-Elias

Wilker Barreto é o escolhido por Artur para presidente e Elias Emanuel pra ser o novo líder

O prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), decidiu que o seu candidato a presidência da Câmara Municipal de Manaus (CMM) na eleição para a Mesa Diretora da Casa que acontecerá nesta quarta-feira (17) é o líder de sua bancada, o vereador Wilker Barreto (PHS). O 1º vice-presidente da Mesa Diretora é o vereador Hiram Nicolau (PSD), o 2º vice-presidente é o vereador Felipe Souza (PTN) e o 3º ´vice é Amauri Colares (PROS). Para assumir a liderança de sua bancada, no lugar de Wilker Barreto, o escolhido pelo prefeito foi Elias Emanuel (PSB) e o vice-líder é o vereador Walfran Torres (PTC).

O prefeito teria decidido tomar a frente nas articulações para a eleição da Mesa Diretora. Segundo informações repassadas ao Radar, as reuniões do prefeito com vereadores teriam entrado pela noite desta segunda-feira (15) – e é lógico que o Radar ficou direto no ar para captar os sinais. Com o apoio do prefeito ao seu líder na Câmara e sua respectiva participação no processo eleitoral, Wilker Barreto já teria 23 votos, mais da metade dos vereadores da Casa (41) e mais do que os 21 votos necessários para se eleger (metade mais um).

A situação conflitante agora seria o fato da escolha do novo líder ter recaído sobre Elias Emanuel (PSB), do mesmo partido que Marcelo Serafim, que estava apoiando e era um dos principais articuladores da candidatura do vereador Ednailson Rozenha (PSDB). Outro vereador apontado por pessoas próximas como tendo preferência por Rozenha é o vereador Fabrício Lima (SDD) que, junto com Marcelo Serafim, andou assumindo ares de oposição nos últimos dias, fazendo discursos com críticas a projetos do Executivo e votando contra os pedidos de regime de urgência feitos às matérias da Prefeitura. Mas, há quem diga, que a situação estará controlada nas próximas horas com a entrada em cenas dos conhecidos “bombeiros” para esfriar os ânimos e aplacar incêndios que ocorrem em toda eleição. (Any Margareth)