Decisão do governo de vetar reajuste salarial de PM é equivocada, dispara deputado

Após Amazonino vetar o projeto que reajusta em 24% a remuneração dos policiais e bombeiros militares do Amazonas, o deputado Serafim Corrêa (PSB) avaliou como irresponsável a decisão do Poder Executivo. Os deputados da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) devem se reunir nesta quarta-feira (20) para discutir o veto.

Segundo o parlamentar, o governador surpreende a todos com interpretações que são consideradas equivocadas.

“Houve emenda ao projeto do Executivo que reajusta o salário dos professores, ele não vetou. Houve emenda ao reajuste dos servidores da saúde, ele não vetou o projeto, somente a emenda. Agora, com a Polícia Militar, ele poderia ter barrado somente a emenda, mas derrubou o projeto, que é de autoria dele. Ele está confuso”, sustentou Serafim.

Para o parlamentar, o governador Amazonino erra ao colocar a culpa do veto ao reajuste dos policiais, nos deputados da Casa Legislativa.

“O governador faz disso uma grande confusão, tenta jogar a tropa contra a Assembleia, e eu garanto o seguinte – a tropa está é contra ele. Há uma insatisfação da Polícia Militar que está nessa situação de insegurança em Manaus. O governador está sendo irresponsável em jogar a Polícia Militar contra a Casa neste momento”, avaliou.

Com a previsão dos deputados se reunirem ainda nesta semana para discutir o veto, Serafim lembra, que atualmente o governo é minoria na Casa Legislativa, tendo o apoio somente de sete parlamentares.

“Pode ser derrubado esse veto em 15 dias, de acordo com o Regimento, e é o que vai acontecer. Não há mais interferência do governador, porque hoje ele não tem mais a maioria na Casa. Ele só tem sete deputados, que aliás não ficam no plenário para defendê-lo, porque é impossível defender esse governo. Ele é, ainda, assessorado por uma garotada nova da PGE”, examinou Serafim.

Com informações da assessoria do deputado