Decreto que prevê o ‘Passe Livre Estudantil’ é suspenso por David Almeida para ‘ajustes técnicos’

A suspensão do decreto foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM)

decreto estudantil

Foto: Divulgado

Após anúncio com Wilson Lima (PSC), o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), decidiu suspender o Decreto Municipal n° 5.218, que garantia gratuidade no transporte coletivo para estudantes da rede pública municipal e estadual da capital amazonense. A decisão consta no Diário Oficial do Município (DOM) — veja no final da matéria — do dia 3 de janeiro.

Por meio de nota, o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) informou nesta quinta-feira (6) que o decreto “precisou ser revogado para que fossem feitos alguns técnicos”.

“O prefeito David Almeida reitera que o benefício concedido pelo convênio firmado entre Governo e Prefeitura, está garantido e tão logo os ajustes sejam feitos, o decreto será novamente publicado”, diz o IMMU.

Apesar do posicionamento, o IMMU não informou o prazo que o decreto será publicado novamente no Diário Oficial.

Em dezembro de 2021, conforme noticiado pelo Radar Amazônico, o “benefício gratuito” será pago através de um termo convênio assinado pela Prefeitura de Manaus com o Governo do Estado, e vai custar mais de R$ 156 milhões aos cofres públicos.

Causa estranheza que o convênio assinado, praticamente na reta final do mandato de Wilson Lima, revela a busca do governador pela reeleição em 2022. Além disso, conforme destacado por David Almeida durante seu discurso na solenidade no dia 21 de dezembro, o convênio vai durar apenas até o final do ano eleitoral, o que indica possíveis intenções políticas por trás do benefício.

Confira a publicação no Diário Oficial