Defensoria propõe interlocução entre Amazonas Energia e comunidades de Parintins

Os defensores públicos que atuam no Polo da Defensoria no Baixo Amazonas, com sede em Parintins, vão propor à Amazonas Energia a criação de um canal direto de comunicação com comunidades rurais da região. O objetivo é aprimorar a prevenção a interrupções no fornecimento de energia elétrica, bem como reduzir o tempo de resolução dos problemas, minimizando prejuízos.

A iniciativa é resultado de um ofício encaminhado à concessionária pela Defensoria, no dia 10 de maio, solicitando explicações sobre falhas no fornecimento para a comunidade rural Bom Socorro do Zé Açu. No dia 26 de abril, uma equipe do polo esteve na comunidade para participação em uma sessão itinerante da Câmara Municipal de Parintins, ocasião em que os moradores estavam sem energia elétrica há mais de 10 horas.

Em resposta ao ofício, a Amazonas Energia encaminhou os esclarecimentos ao Polo da Defensoria no dia 13 de junho. No ofício de resposta, a concessionária afirma que no período de 12 meses de 2018 até maio de 2019 foram registradas 7 ocorrências de interrupções, em dias diferentes, ocasionadas por “meio ambiente vegetal e animal, além de descarga atmosférica”.

A empresa também informou que o tempo médio de atendimento foi de 2 horas ou mais, dependendo do tipo de problemas e das complexidades logísticas da região afetada. A Amazonas Energia esclareceu ainda sobre a composição das equipes de atendimento e equipamentos utilizados e afirmou que vem fazendo manutenções corretivas e preventivas na rede de distribuição visando minimizar as interrupções para as mais de 100 comunidades da região nas áreas terrestres e fluvial.

Sobre o desligamento do dia 26 de abril na comunidade Bom Socorro do Zé Açu, a concessionária explicou que o problema foi ocasionado pela queda de árvores de grande porte que caíram sobre a rede de distribuição de alta tensão próximo à comunidade do Quebra, partindo cabos em três pontos distintos. De acordo com a Amazonas Energia, assim que tomou conhecimento do problema, as equipes de terra foram acionadas para o atendimento.

O coordenador do Polo da Defensoria no Baixo Amazonas, defensor Rodolfo Lobo, afirma que será marcada uma reunião com os líderes comunitários do Bom Socorro do Zé Açu para confirmar se as informações do ofício conferem com a realidade da comunidade. Posteriormente, será marcada uma reunião com a Amazonas Energia para propor a criação de um canal direto entre a comunidade Zé Açu e outras comunidades da Vila Amazônia e a Amazonas Energia.

O Polo do Baixo Amazonas tem sede em Parintins e abrange os municípios de Nhamundá, Barreirinha e Boa Vista do Ramos. A coordenação do polo é do defensor Rodolfo Pinheiro Bernardo Lobo, e compõem a equipe os defensores Everton Sarraff, Vinícius Cepil Coelho, Bruno Fiorin Hernig e Rafael Lutti.

Com informações da assessoria de comunicação