Defensoria Pública apresenta projeto para instalação de novo polo em Lábrea

 

Foto: Divulgação

Um projeto para a implantação do novo pólo da Defensoria Pública do Estado (DPE-AM) em Lábrea (distante 852 km de Manaus), foi apresentado pelo defensor público geral do Amazonas, Ricardo Paiva, ao prefeito do município, Gean Barros, nessa quinta-feira (25).

Paiva está visitando o município de Lábrea para as tratativas relacionadas à instalação do oitavo polo da DPE-AM no interior. Polo será o oitavo a ser implantado no interior e, além da população de Lábrea, atenderá Canutama, Tapauá, Boca do Acre e Pauini

Na ocasião, Paiva falou sobre como a população será beneficiada com a chegada da Defensoria para prestar assistência jurídica gratuita e, com isso, fazer com que cada pessoa da região tenha, de fato, acesso aos seus direitos.

“O diálogo com o prefeito foi muito positivo. Estamos adotando as providências para implantar o Polo de Lábrea o mais breve possível para atender as demandas que a população precisa. Vale lembrar que fizemos um concurso público com vagas específicas para Lábrea. Os servidores foram aprovados para trabalhar no nosso novo polo e vão ficar em Lábrea, porque a Defensoria chega para firmar raízes na região”, disse Ricardo Paiva.

A gestão do defensor geral Ricardo Paiva tem como meta instalar, ao todo, quatro polos em dois anos. Além de Maués e Coari, inaugurados em 2020, este ano os municípios de Lábrea e Manacapuru serão contemplados com unidades fixas da Defensoria Pública do Estado.

Atualmente, a Defensoria está instalada nas regiões do Madeira, Médio Amazonas, Baixo Amazonas, Médio Solimões e Alto Solimões, além dos polos de Maués e Coari, o que deixa a assistência jurídica da instituição à disposição de mais de 1,1 milhão de pessoas que vivem em 32 municípios no interior do Amazonas.

Para o defensor público geral do Estado, Ricardo Paiva, a implantação do Polo de Lábrea representa um processo de crescimento institucional para a Defensoria, na medida em que há um fortalecimento e criação de um vínculo mais forte com o interior do Estado, por meio de polos com estrutura própria, com nomeação de servidores aprovados em concurso público voltado para a região, além de ser um mecanismo que fortalece também a democracia.

(*) Com informações da assessoria da DPE-AM