Defesa Civil e CPRM começam coletas para definir cotas de enchente no AM

Com objetivo de levantar informações para definir as cotas de referência de enchente no interior e na Região Metropolitana de Manaus, começou nesta segunda-feira (26), a campanha de campo realizada pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e a Defesa Civil do Amazonas.

“Esse trabalho é uma importante ferramenta operacional de avaliação das áreas de risco. Os resultados vão otimizar a nossa resposta a população diante de um desastre de natureza extrema”, afirmou o secretário da Defesa Civil do Amazonas, Fernando Pires Júnior.

As primeiras coletas começaram pelo bairro São Jorge, em Manaus. Em todos os municípios contemplados nesta fase (Manaus, Iranduba, Careiro da Várzea, Manacapuru, Beruri, Codajás, Coari, Anamã e Itacoatiara), serão levantados pontos iniciais de alagamentos, com o uso de GPS.

O CPRM desenvolve essa ação no Estado desde 1989, como parte do “Sistema de Alerta Hidrológico do Amazonas (SAH Amazonas)”, que realiza o serviço de monitoramento dos processos anuais de cheias e vazantes nas regiões dos rios Solimões, Negro e Amazonas.

Entre os frutos deste projeto está à previsão de fenômenos naturais críticos, conhecido como “Alerta de Cheia”, medida que ano a ano, embasa a tomada de decisões estratégicas da Defesa Civil do Estado.

Além de meteorologistas da Defesa Civil do Amazonas, técnicos do CPRM e  Defesas Civis Municipais, participam da coleta de dados.