Anúncio

Defesa Civil inicia ações da operação cheia na zona rural de Manaus

Ao todo 12 comunidades rurais que sofrem anualmente com a subida do rio Negro no Amazonas, foram alvo do primeiro levantamento de vistoria da Secretaria Executiva de Proteção e Defesa Civil de Manaus, nesse sábado (2). A ação faz parte da primeira etapa do planejamento da Operação Cheia 2018 da prefeitura da capital e tem como objetivo antecipar as atividades de prevenção e monitoramento nas áreas passíveis de alagação, por conta do fenômeno da cheia.

Segundo o Departamento de Operações do órgão, as comunidades visitadas foram: União e Progresso, São Francisco, Assentamento Nazaré, São Pedro, Bom Sucesso, Santa Rosa, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Canaã, São Raimundo, Nossa Senhora do Carmo e Nova Cesaréia.

Ainda de acordo com o levantamento, cerca de 300 famílias da zona rural têm suas residências inundadas por conta do fenômeno, assim também como as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e as escolas municipais que atendem os moradores das comunidades.

Operação cheia 2018

As ações da operação cheia 2018 já teve início, ainda no mês de janeiro, com a participação das secretarias municipais de Infraestrutura (Seminf), da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semamsdh), de Meio Ambiente (Semmas), da Saúde (Semsa), de Educação (Semed), de Limpeza Pública (Semulsp), do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Guarda Municipal, Subsecretaria de Abastecimento, Feiras e Mercados (Subsempab) e Polícia Ambiental do Amazonas.

“Já iniciamos as ações de prevenção e monitoramento da operação cheia chamando as outras secretarias municipais envolvidas na operação, junto com a Defesa Civil, para planejar as ações preventivas nas áreas afetadas pela cheia em Manaus, e assim somando forças para atuar de forma mais imediata e eficaz junto às comunidades”, destacou o secretário do órgão, Cláudio Belém.

Fonte: Divulgação/Defesa Civil

Fotos: Divulgação/Defesa Civil