Delegado da PF investigado por venda de informações a políticos e empresários é demitido

Fernando Caieron foi alvo da operação Chabu, em 2019, e teve demissão publicada no Diário Oficial

Policiais federais reunidos no início da manhã para cumprir os mandados na operação Colosseum - Divulgação

Policiais federais (PF) reunidos no início da manhã para cumprir os mandados na operação Colosseum – Divulgação

Ministério da Justiça publicou no Diário Oficial da União desta quarta (19) a demissão do delegado da Polícia Federal Fernando Caieron.

O delegado foi alvo em 2019 da operação Chabu por suspeita de venda de informações sigilosas para empresários e políticos.

No pedido que embasou a operação, a PF afirma que enquanto atuava no órgão o investigado desenvolvia “ações comerciais paralelas” que indicavam “o potencial ofensivo da organização criminosa e seu poder de irradiação nos órgãos de segurança pública”.

Além da venda de informações sigilosas de investigações em andamento, o delegado também mantinha outras atividades comerciais.

A PF flagrou, por exemplo, conversas de Caieron intermediando os interesses de um instituto com a Prefeitura de Florianópolis.

Gean Loureiro (DEM), prefeito da capital de Santa Catarina e um dos presos na operação, chegou a emitir um ofício formal de apoio ao projeto em que o delegado atuava em nome da entidade privada.

O despacho de demissão assinado pelo ministro Anderson Torres afirma que o delegado infringiu a lei “ao exercer o comércio ou participar de sociedade comercial, salvo como acionista, cotista ou comanditário; prevalecer-se, abusivamente, da condição de funcionário policial; revelar segredo do qual se apropriou em razão do cargo; e praticar ato de improbidade administrativa”.