Denuncia do uso de medicamento suspeito na FHemoam leva a realização de audiência pública

A grave denúncia do uso de medicamentos suspeitos para tratamento dos pacientes na Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam), resultou em uma Audiência Pública, prevista para acontecer dia 20 de março. A sessão foi aprovada na primeira reunião do ano da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participativa da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), realizada nessa quinta-feira (22).

No início do mês, o presidente da Comissão, José Ricardo recebeu pais e familiares de crianças que fazem tratamento contra leucemia na FHemoam, denunciando que o medicamento “Leuginase”, em uso para tratamento terapêutico, não vem apresentando eficácia no tratamento de doenças e que estaria levando a óbitos pacientes em algumas cidades brasileiras fora do Amazonas, que fizeram uso desse remédio.

A suspeita surgiu após o Governo Federal, numa tentativa de economizar recursos, deixar de comprar o antigo medicamento no valor de U$ 172.00 do Japão e da Alemanha para comprar outro que custa apenas U$ 38.00, produzido pela China. O Ministério Público Federal de Brasília já está movendo uma ação civil pública, onde pede investigação e solicita que a União substitua de imediato o medicamento suspeito, já que até o momento não há provas de que seja o responsável pelas mortes.

“Esse é um assunto sério, que precisa ser debatido. A FHemoam já afirmou em reunião que seria impossível parar com o uso desse medicamento sem colocar em risco a vida dos pacientes, mas que está atento às denúncias e acompanhando os pacientes. Mas o Governo do Estado tem que assumir a compra desse medicamento, enquanto o Governo Federal não regulariza essa questão. Estamos falando de vidas e precisam ser priorizadas pelo poder público, seja ele estadual ou federal”, declarou o parlamentar.

Além do deputado José Ricardo, também participaram os deputados Luiz Castro (REDE) e Wanderley Dallas (MDB).