Denunciado pela PGR, Wilson Lima é convocado pela CPI da Pandemia para explicar mortes no Amazonas

Foto: Divulgação

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) será convocado pela CPI da Pandemia para prestar esclarecimento sobre a crise de oxigênio medicinal e a falta de atendimento médico nas unidades de saúde do Estado, que causaram a morte de centenas de pessoas no início deste ano, durante a segunda onda de Covid-19. Wilson Lima e mais 17 pessoas foram denunciadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) à Justiça por suposto envolvimento em um esquema de corrupção ligado ao enfrentamento da pandemia no estado, que gerou prejuízo superior a R$ 2 milhões aos cofres públicos.

A decisão da comissão atendeu requerimentos dos senadores Marcos Rogério (DEM/RO) e Humberto Costa (PT/PB). Eles entendem que a presença de Lima na CPI vai esclarecer quais as principais medidas adotadas pelo Governo do Amazonas durante o agravamento da crise na saúde púbica do Estado na segunda onda da pandemia em Manaus.

Wilson Lima é um dos nove governadores convocados pela CPI da Pandemia, e que foram alvos de operações da Polícia Federal sobre suspeitas de desvio de recursos públicos direcionados ao enfrentamento da pandemia. No caso do Amazonas, o governador é investigado na operação Sangria na compra superfaturada de respiradores em uma loja de vinhos.

A presença de Lima na CPI é bastante aguardada pelo presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD/AM) e o senador Eduardo Braga (MDB/AM). Eles querem saber, principalmente, porque o governador não informou ao Ministério de Relações Exteriores as especificações da aeronave que precisava para transportar oxigênio da Venezuela para Manaus.