Denúncias sobre crime de tráfico de pessoas podem ser feitas no Disque 100

Durante o Mês Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, é necessário estimular as pessoas ao debate sobre o tema e encorajar as vítimas de casos como esse. Diante disso, a Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), chama a atenção da população em diversas ações sobre os canais de denúncias contra o crime.

Além dos postos policiais de qualquer lugar do mundo, o Disque 100 (Ministério dos Direitos Humanos) e o Ligue 180 (Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres) são canais de denúncias, inclusive internacionais (Ligue 180).

Como identificar

De acordo com a titular da Sejusc, Caroline Braz, o cidadão deve ficar atento aos sinais para prevenir o tráfico humano.

“Precisamos coibir esse tipo de crime, e a prevenção ainda é a melhor ferramenta. O cidadão deve, por exemplo, duvidar de propostas de emprego fácil e lucrativo, e ler atentamente os contratos de trabalho, principalmente no exterior. Ao viajar, deve sempre informar a alguém confiável o endereço e contatos, e nunca deixar de dar informações a familiares e amigos”, ressalta a titular da pasta. “Em todo caso, procurar um canal de denúncia é fundamental”.

Casos no Amazonas

De acordo com dados da Polícia Federal, nos três últimos anos, foram registrados quatro inquéritos sobre tráfico humano no Amazonas. A titular da Sejusc reforça a necessidade de denúncia para receber um atendimento especializado.

“A Sejusc dispõe de um posto de atendimento ao migrante na Rodoviária e no Aeroporto de Manaus, onde uma equipe orienta e encaminha possíveis vítimas de tráfico humano aos órgãos responsáveis”, destaca Caroline Braz.

As unidades funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

(*) Com informações da Sejusc