Deputada critica cobranças abusivas a mototaxistas e taxistas de Tabatinga

Após breve passagem por Tabatinga (a 1.105 quilômetros de Manaus), a deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) cobrou informações da Prefeitura do município sobre “cobranças abusivas” a mototaxistas e taxistas. A denúncia foi feita pelos próprios profissionais que trabalham no sistema de transporte da cidade.

De acordo com eles, a administração de Tabatinga cobra um taxa anual de R$ 68 aos mototaxistas e algo em torno de R$ 300 dos taxistas. Alessandra disse que vai procurar o Ministério Público Estadual para saber sobre a legalidade da cobrança.

“A prefeitura não dá condição alguma de apoio a esses mototaxistas. As vias estão em péssima qualidade, a prefeitura não apoia a distribuição de coletes, capacetes ou qualquer equipamento de segurança, no entanto, é cobrado desses mototaxistas uma taxa que começou com R$ 16 e hoje já está em quase R$ 70”, criticou Alessandra.

Em seu pronunciamento na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), a deputada enfatizou que não viu esse tipo de cobrança “em lugar nenhum”. Aproveitou para incluir a denúncia dos taxistas, que afirmaram que a taxa imposta pela Prefeitura de Tabatinga está perto dos R$ 300.

“Eu vou questionar ao nosso Ministério Público Estadual sobre a legalidade dessa taxa e sobre o valor que, em minha opinião, é um valor abusivo cobrar quase R$ 70 de um mototaxista que às vezes faz uma corrida por R$ 2, R$ 3, R$ 5 e que não vai ter como pagar uma taxa nesse valor”, concluiu Campêlo.

Com informações da assessoria da deputada