Deputada do MDB pede investigação por prática de nepotismo em Eirunepé

A deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB), afirmou que vai entrar com uma representação junto ao Ministério Público Estadual (MPE) para que seja apurado o caso de nepotismo na Prefeitura municipal de Eirunepé (a 900 quilômetros de Manaus). A declaração foi dada, durante pronunciamento na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), nessa terça-feira (30).

A parlamentar informou que recebeu uma lista, onde já se conseguiu identificar, ao menos, dez nomes de pessoas de 1°ou 2° grau de parentesco do prefeito de Eirunepé, Raylan Barroso Alencar (PROS) que recebem altos salários na prefeitura.

“Além de todos os problemas que têm no município de Eirunepé, de obras inacabadas, falta de infraestrutura e investimentos, o vereador Fredson da Civil (PMN) me trouxe essa denúncia descarada da atual gestão do município”, disse a deputada.

Mas pelo jeito, Raylan Barroso manda e desmanda na cidade assim como já mostrou o Radar. Em fevereiro deste ano, ele demonstrou expressamente insatisfação com o então Comandante da PM em Eirunepé, chegando a afirmar, em rádio e à população da cidade, que toda autoridade policial deveria se apresentar ao mesmo e somente proceder a medidas preventivas de “poder de polícia”, como fechamento de bares em inobservância com o Código de Postura municipal, se houvesse expressa autorização dele.

No mês seguinte, a Justiça determinou o retorno de PMs removidos de Eirunepé. Segundo investigação instaurada pelo MPE, os policiais militares vinham recebendo constantes ameaças de pessoas que se dizem próximas a Raylan Barroso. O órgão abriu investigação para apurar ato de improbidade administrativa do prefeito, referente à remoção compulsória de policiais militares por perseguição política.

No último dia 2 de outubro, o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) proibiu a presença de políticos na festa de Eirunepé promovida pela prefeitura, para não transformá-la em comício pró-Amazonino Mendes (PDT), que tentava a reeleição como governador.

E ainda no mês das eleições, o prefeito de Eirunepé chegou a mandar distribuir combustível em troca de votos para Amazonino. O ato foi registrado em vídeo que foi enviado ao Radar.