Deputado alerta para retrocesso no atendimento humanizado às mulheres na FCecon

Dois dias após o médico Gerson Mourão pedir exoneração do cargo de gerente do Serviço de Mastologia da Fundação Cecon (FCecon) por insatisfação no setor, o deputado Luiz Castro (Rede) lamentou a saída e alertou para retrocesso no atendimento humanizado às mulheres na unidade de saúde.

“O doutor Gerson faz um belíssimo trabalho no atendimento humanizado às pacientes com câncer de mama, e com o seu pedido de saída, o serviço pode sofrer retrocessos”, observou o deputado.

O médico Gerson Mourão encaminhou o pedido de exoneração na quarta-feira (3) à diretora presidente da instituição, Ana Paula Lemos. No documento ele aponta a insatisfação com graves problemas que vem ocorrendo dentro da equipe de mastologia, e que ele já havia relatado em documento anterior, solicitado medidas emergenciais.

“Conheço a atuação do doutor Gerson e acredito que essa foi uma decisão muito difícil, porque ele é um profissional dedicado ao tratamento das mulheres com câncer, e ao movimento que reformulou o atendimento das pacientes. Elas passaram a ser atendidas, de acordo com o que prevê a Lei, respeitando o tempo hábil para um tratamento eficaz”, destacou Luiz Castro, que acompanha a situação da FCecon, em visitas periódicas ao hospital.

Para um dos servidores da FCecon que fazem parte do Grupo Humanização, o pedido de exoneração causa apreensão e tristeza. “Não posso me omitir, o doutor Gerson é um grande profissional que enxerga as pessoas com o coração. Só quem sabe da nossa história na FCecon, sabe da falta que ele fará aos pacientes e aos colegas de trabalho”, lamenta.

Ele aponta, principalmente, a falta que o médico fará aos grupos de trabalho que se dedicam inteiramente ao estabelecimento de Protocolos de Acesso para a melhoria da qualidade da assistência ao paciente oncológico. “Difícil de aceitar que a intransigência venceu a benevolência”, enfatizou.

Com informações da assessoria do deputado