Deputado apela ao TJ para que julgue os crimes de pedofilia; processos estão “emperrados” há anos

LUIZ-CASTRO 28 capa

Manifestando preocupação com a morosidade no julgamento dos envolvidos no esquema criminoso de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, no município de Coari, o deputado Luiz Castro fez hoje (28) um apelo à presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Graça Figueiredo, pela conclusão dos processos e condenação dos acusados.

Da tribuna da Assembleia Legislativa, Luiz Castro disse que as provas levantadas pela Operação Vorax, da Polícia Federal (PF), contra o esquema criminoso comandado pelo ex-prefeito Adail Pinheiro, são irrefutáveis e mostram claramente a prática de aliciamento, de pedofilia e exploração sexual de menores de idade.

De acordo com o deputado, deve ser uma questão de honra para a Justiça, concluir o julgamento dos acusados, para evitar que essa nódoa manche a credibilidade do Tribunal. “Se não existe respeito e proteção aos direitos de crianças e adolescentes, também não existe justiça, não existe democracia”, reagiu Castro.

Manobras

O deputado destacou que o processo contra Adail Pinheiro, preso há dois anos no Quartel da PM, passou a tramitar sob segredo de justiça, quando o ex-prefeito já deveria estar cumprindo pena na penitenciária. Ele teme a possibilidade de manobras para livrar Adail Pinheiro, que já entrou com pedido de soltura.

Luiz Castro também chamou atenção para a cooptação das vítimas e testemunhas dos crimes, com a intenção de fazê-las mudar os depoimentos e inocentar aqueles que aliciaram e praticaram violência sexual contra crianças e adolescentes.

“O Amazonas não pode assistir passivamente, nem permitir que os responsáveis por crimes hediondos contra a dignidade de crianças, sejam inocentados”, afirmou Luiz Castro.