Deputado classifica como “paternalista e eleitoreira” doações feitas pelo Governo

O deputado Luiz Castro (Rede) classificou como “paternalista” e “eleitoreira” a atitude do Governo do Estado em distribuir insumos e implementos agrícolas às associações e comunidades rurais de municípios de interior amazonense. Castro afirmou que é contrário a essas práticas durante seu pronunciamento na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), nessa terça-feira (3), por entender que esse tipo de atitude é fadada ao fracasso, por instituir um vínculo de dependência do agricultor com o poder público.

O deputado defendeu um programa de transferência de renda diferente, com financiamentos subvencionados, para que os pequenos agricultores, pescadores e extrativistas do interior possam adquirir os seus bem com preços à baixo do mercado, com bônus de adimplência. Para Castro é preciso uma mudança de atitude em que o trabalhador se deixa de depender do governo para ter uma benesse, e passa a ter o governo como um parceiro. “Isto sim é política pública”, destacou.

Em relação aos que defendem essa prática, alegando apoio ao pequeno produtor e principalmente à utilidade desse material, o parlamentar afirmou que considera, sim, importante equipar o homem do interior para que ele consiga aumentar sua produção e, consequentemente, sua renda. Porém, para Castro, é preciso atentar para a forma como se faz isso, com a presença do administrador público, do político, fazendo essa entrega; perpetuando vínculos e atraso cultural e moral. “Para o desenvolvimento de uma sociedade e sua capacidade produtiva, é preciso ética no trabalho e políticas públicas não clientelistas”, concluiu.

Com informações da assessoria do deputado