Anúncio Advertisement

Deputado federal Francisco Praciano recebe título de cidadão do Amazonas na ALE

 

francisco_praciano

Às 10h desta terça-feira (7), a Assembleia Legislativa do Estado (ALEAM) concede o Título de Cidadão do Amazonas ao deputado federal Francisco Praciano (PT), com a autoria do deputado estadual José Ricardo Wendling (PT). “Uma justa homenagem a um homem de origem humilde do sertão do Ceará, que chegou a ser seminarista durante a adolescência e que há quase 40 anos escolheu o Amazonas para viver, tornando-se um dos políticos mais respeitados do Estado, devido a sua coerência, ética e coragem de enfrentar os problemas que atingem o povo”, declarou ele, ressaltando que, pela sua forte atuação no combate à corrupção, o parlamentar já sofreu até ameaças de morte, tendo, inclusive, a sua casa metralhada.

O Projeto de Lei nº 22/2012, que garantiu a concessão do Título de Cidadão do Amazonas ao deputado federal, foi apresentado em fevereiro do ano passado e aprovado pelo plenário da ALEAM, quando Praciano completava 60 anos de vida (no dia 18 de fevereiro), sempre preocupado com a qualidade da política do Amazonas. “Ele que, enquanto vereador, defendeu os direitos dos estudantes com a garantia da meia-passagem, um transporte digno e com preço justo, conseguiu aprovar importantes leis na área da educação e que hoje, no Congresso Nacional, atua no combate à corrupção, somada à defesa da Zona Franca de Manaus e ao desenvolvimento sustentável da Amazônia”, declarou o deputado.

Dentre as suas várias l utas no combate à corrupção e na garantia dos direitos dos cidadãos amazonenses, que resultaram em Ações na Justiça e Representações no Ministério Público, destacam-se: investigação de desvio de recursos públicos federais no Fundeb (2007); investigação de desvio de recursos no Município de Coari (2006); auditoria na utilização de recursos federais pela Prefeitura de Manaus na construção do Terminal Pesqueiro (2006); liminar contra o aumento do ônibus em Manaus (2007); pedido de liminar que garante o direito dos estudantes a terem 120 meias-passagens durante todos os dias do ano (2008); representação para investigar repasse de R$ 29 milhões do Estado a entidades ligadas a políticos; e representação sobre o escândalo da empresa Pampulha, em que R$ 18 milhões dos cofres públicos foram cair nas mãos de uma empreiteira que nem sequer chegou a realizar os serviços para o qual foi contratada (2007).