Deputado vê intervenção como medida adequada para evitar “sangria” nos cofres de Coari, inclusive com pagamento de advogados

Deputado-estadual-Sidney-Leite

“Quem assegura que não vão usar o dinheiro público pra pagar advogado”, diz ao Radar o líder do governo na Assembleia Legislativa do Estado (ALEAM), deputado Sidney Leite, autor de mais um pedido de intervenção no município de Coari que, desta vez, pretende que a decisão esteja nas mãos da ALEAM e do governador do Estado, José Melo.

A resposta dada pelo parlamentar sobre o uso de recursos públicos para o pagamento de advogados veio após o Radar questionar se o pedido de intervenção, que poderia já ter sido feito durante todo o ano passado pela base do Governo, não era de certa forma extemporâneo, desnecessário, e até mesmo não se contrapõe a decisão da Justiça Eleitoral (TSE) que cassou o registro de candidatura de Adail Pinheiro e, consequentemente, de seu vice, Igson Monteiro, o que faz com que o segundo colocado nas eleições de 2012 assuma a Prefeitura de Coari.

“Longe de mim vaticinar nada, mas quem pode prever o que vai acontecer? Enquanto isso a população de Coari continua sofrendo. E quem assegura que não vão usar o dinheiro público pra pagar advogado. Investigações feitas pela comissão (CPI da Pedofilia) da Assembleia levaram a constatação do pagamento de advogados com dinheiro público pra atender interesses particulares.  A Prefeitura de Coari recebeu cerca de R$ 18 milhões de transferências federais e os professores contratados alegam que não receberam, nem salários, e nem 13º”, questiona Sidney Leite

Informações extraoficiais dão conta de que o parlamentar já entregou ao presidente da ALEAM, deputado Josué Neto, o requerimento com o pedido em Coari, mas que não houve a reunião na presidência da Casa porque os deputados ficaram sabendo da morte da mãe do governador José Melo e foram prestar suas condolências ao Chefe do Executivo estadual. (Any Margareth)