Deputados aprovam projeto de Melo que tira policiais das ruas pra servir a políticos em Brasília

Uma simples troca de palavras no texto da lei foi o suficiente para que os deputados estaduais aprovassem a cessão de policiais militares do Amazonas para atuarem nos gabinetes de deputados federais e senadores do Estado, em Brasília, na sessão de votação desta quarta-feira (26), na Assembleia Legislativa (Aleam). Na semana passada, o governo encaminhou à Assembleia o Projeto de Lei Complementar 05/2017, disponibilizando policiais militares do Amazonas para o “Congresso Nacional” (Câmara dos Deputados e Senado).

Houve gritaria geral da oposição que questionou quantos militares iriam para a capital federal, deixando a população para trás, numa época em que o Amazonas vive sob situação de violência e estado de sítio, nunca vistos antes. Além disso, “Congresso Nacional” é muita gente, né não? São 513 deputados e 81 senadores de todos os estados brasileiros! Já pensou se cada um pede um policial do Amazonas?

Com a gritaria, o governo enviou uma emenda, mas a situação nossa de cada dia, não ficou muito melhor não! O Governo do “professor” substituiu tão somente a expressão “Congresso Nacional” por “‘Representação Parlamentar do Estado”, ou seja, os militares não vão ficar à disposição de qualquer um, não! Só daqueles em quem nós votamos e que estão nos representando lá, no Congresso Nacional e que, pelo jeito, têm mais direito a segurança do que o povo do Amazonas. Nos resta apenas pagar a conta dos salários de todos eles. E assim, a lei foi aprovada.

Mas o problema é que ninguém sabe quantos policiais militares é que serão enviados para fazer a segurança de deputados e senadores em Brasília. Ou seja, mudaram uma palavra no texto da lei, mas acharam de menor importância quantificar a situação – e agora secretário (Sérgio Fontes) como fica a tal “sensação de segurança” com cada vez menos polícia na rua?

Além do mais, há uma pulga atrás da orelha, apontada por José Ricardo e Sinésio Campos de que poderia “haver interesses particulares” nesse negócio de enviar PMs para Brasília. Será, gente?
O projeto ficou aberto, sem limitação de quantitativo de policiais que poderão ser disponibilizados para Brasília. Apenas um jogo semântico, uma troca de palavras foi suficiente para “convencer” os governistas.

Só pra lembrar, a bancada federal do Amazonas tem 11 membros – oito deputados e três senadores. Vamos supor que cada um leve uns 3 policiais, isso significaria 33 agentes da lei, treinados em segurança e na proteção do cidadão, fazendo sabe-se lá o que em Brasília. E com mais dezenas de policiais à disposição de órgãos estaduais e da própria Assembléia Legislativa, vai sobrar policial nos gabinetes e vai faltar nas ruas. Deus nos acuda! (Equipe do Radar)