Deputados assinam moção de repúdio contra ataques de Paulo Guedes à ZFM

Após a declaração polêmica do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a intenção de zerar os subsídios e incentivos dados às empresas que atuam na Zona Franca de Manaus (ZFM), os deputados do Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), assinaram, nessa terça-feira (23), Moção de Repúdio contra a fala do ministro. (Veja documento no final da matéria)

“Ainda que o Ministro tenha garantido que não alterar o formato da ZFM, ao executar seu plano econômico, infere em prejuízos diretos à Zona Franca, visto que cria uma competitividade que não poderá ser suportada pelo sistema. Na prática, suas medidas inferem na criação de um novo programa de incentivos, mais flexível e sem o comprometimento com o desenvolvimento local, um dos pontos de alicerce da ZFM”, diz um dos trechos da justificativa da Moção de Repúdio.

O requerimento foi apresentado pela vice-presidente do Poder Legislativo Estadual, a deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB). Segundo a parlamentar, na nota  assinada por todos os deputados presentes na sessão plenária foi externada a opinião da Assembleia Legislativa e do povo amazonense em repúdio à declaração do ministro.

“Não é a primeira vez que membros do Governo Federal fazem falas contra o nosso Polo Industrial de Manaus. Isso demonstra, além de ser uma fala preconceituosa, um total desconhecimento sobre a importância e a riqueza que gera para o Brasil todo o nosso Polo Industrial. Não podemos deixar que vozes e falas como essa peguem eco e se tornem falas nacionais”, disse Alessandra.

Em entrevista ao Programa Globo News, transmitida no último dia 17, o ministro defendeu uma reforma tributária que deverá “simplificar” a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o que seria o mesmo, que decretar o fim do modelo no Estado.

Guedes, em um ataque direto à capital do Estado, e por consequência, à nossa região, disse ainda: “Quer dizer então que eu tenho que deixar o Brasil bem ferrado, bem desarrumado, porque senão não tem vantagem para Manaus? Não existe isso.”

Na ocasião parlamentares da Bancada federal do Amazonas também reagiram a declaração do ministro bem como o presidente da Aleam, o deputado Josué Neto. Além deles, o prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto retrucou a fala do ministro dizendo que “A biodiversidade está na Amazônia e não nos prédios áridos da Esplanada dos Ministérios”.

“O Amazonas em nada quer privilégios, mas sim a oportunidade de se desenvolver de forma sustentável, visando para além da questão financeira, o investimento na educação e no meio ambiente, o que é proporcionado pelo modelo ZFM, que foi cuidadosamente pensado nesse sentido”, enfatiza a nota da deputada Alessandra.

Confira o documento na íntegra.

Com informações da assessoria da deputada.