Deputados debatem sobre importância da Central de Artesanato fechada há quatro anos

Fechada há quatro anos pelo Governo do Estado, a Central de Artesanato Branco e Silva foi tema de discursos acalorados nessa terça-feira (14), na Assembleia Legislativa do Amazonas.

No início da sessão de hoje, o deputado Sabá Reis cobrou do Governo do Estado a reabertura da Central de Artesanato Banco e Silva, que está fechada desde 2013. O local é administrado pela Secretaria Estadual do Trabalho (Setrab).

Ao saber da cobrança feita pelo deputado Sabá Reis, o deputado Wanderley Dallas usou a tribuna da Aleam para esclarecer fatos relacionados à Central de Artesanato Branco e Silva.

De acordo com Dallas, o local foi fechado para reformas em 2013, durante o governo de José Melo. A obra devia durar dez meses e deixar o prédio pronto para a Copa do Mundo de 2014.

No entanto, até início de 2017, o ex governador José Melo jamais terminou a obra, que era executada pela Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra).

“O deputado Sabá Reis precisa tomar o remédio ‘Lembrezou’, que ajuda com problemas de memória”, ironizou o deputado Dallas. “A central de artesanato não foi entregue aos artesãos porque o ex governador José Melo jamais terminou a obra”, afirmou Dallas.

Após mais de três anos com obras paradas, a central de artesanato enfrenta sérios problemas com infestação de cupins. As colunas de madeira que sustentam paredes e telhado estão comprometidas. “Isso é resultado do descaso do antigo governo com o patrimônio público”, denunciou Dallas, acrescentando: “Infelizmente os artesãos de todo Amazonas estão sem local definitivo para vender seus produtos”, ressaltou.

O parlamentar lembrou também que os recursos que deviam ser usados na reforma do prédio foram provenientes de uma emenda ao orçamento, apresentada pelo senador Omar Aziz. “O dinheiro para reforma da central de artesanato foi liberado pelo Governo Federal, no entanto, a obra jamais foi concluída e entregue aos artesãos”, lembrou o deputado.

Um novo estudo técnico feito pela Seinfra vai averiguar as condições estruturais da Central de Artesanato Branco e Silva. A análise será feita até o final de novembro e o resultado será encaminhado à Setrab.

O secretário do Trabalho, Dallas Filho, disse, por meio de nota, que a Setrab está empenhada em reabrir a central de artesanato. Ele acrescenta que, ser for necessário, irá procurar o Governo Federal para liberar recursos a fim de concluir a reforma do prédio.