Deputados governistas estão se esquivando de assinar CPI para investigar desvios na saúde, diz Dallas

dallas-10-capa

O deputado Wanderley Dallas, um dos primeiros parlamentares a assinar o pedido de CPI para apurar o desvio de recursos da saúde pública estadual, foi um dos que fez o clima esquentar, durante a sessão plenária desta segunda-feira, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Ele e a deputada Alessandra Campelo, ambos do PMDB, lembraram a reportagem exibida pelo programa Fantástico, que expôs para todo Brasil o desvio de mais de R$ 120 milhões da Saúde Pública do Amazonas.

Dallas cobrou dos demais deputados o apoio para a criação da comissão parlamentar de inquérito. Ele lembrou que, como está previsto na Constituição da República, a Assembleia Legislativa tem o dever de investigar as denuncias relacionadas à operação Maus Caminhos, deflagrada pela Polícia Federal.

“É dever do Poder Legislativo Estadual fiscalizar as ações do Poder Executivo”, afirmou Dallas. “Infelizmente, a investigação está sendo barrada pelos deputados que apoiam o governo”, criticou o deputado, acrescentando: “Até agora temos cinco assinaturas. Fui o primeiro a assinar para a CPI ser aprovada, mas precisamos do apoio de oito deputados”, ressaltou.

Ao lado da deputada Alessandra Campelo, Wanderley Dallas disse que encaminhou o pedido de CPI a vários parlamentares, entre eles o deputado Sinésio Campos (PT), que até agora não assinou o documento. “A sociedade está cobrando uma posição da Assembleia Legislativa. Entreguei o documento pessoalmente nas mãos do deputado Sinésio, que até agora não assinou”, afirmou Dallas.

Outros deputados que integram a base de apoio do Governo do Estado também estão se esquivando de assinar o pedido de CPI, segundo Dallas. “Estamos lutando contra o tempo para aprovar a criação da CPI. Não vamos desistir de passar à limpo a Saúde Pública do Amazonas”, completou Dallas.