Deputados recebem manifestantes pró-impeachment de Wilson Lima

Foto: Reprodução

Alguns deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), após conversarem com participantes da manifestação pró-impeachment do governador Wilson Lima, que ocorreu em frente à Casa Legislativa, levaram uma comissão desses manifestantes para se reunirem com o presidente, deputado Roberto Cidade (PV), nesta terça-feira (16). A principal reivindicação é o impeachment do governador Wilson Lima (PSC), tendo como justificativa o colapso do sistema de saúde do Estado e a falta de oxigênio que matou dezenas de pacientes de Covid-19 por asfixia.

Treze pedidos de impeachment tramitam na Casa Legislativa. A demora para que o Poder Legislativo aprecie e vote esses pedidos de impeachment, foi justificada por Roberto Cidade pela necessidade da Procuradoria Jurídica emitir parecer de legalidade. “Estou há 16 dias na presidência e todos os pedidos (de impeachment) que foram protocolados na Casa estão sendo analisados pela procuradoria. É um processo complexo, de uma lei muito antiga, tanto que todos os procedimentos de impeachment que tiveram no Brasil foram judicializados. Nós estamos tendo cuidado para analisá-los de forma correta e, em breve, daremos uma resposta à sociedade”, disse.

Ao lado dos deputados Dermilson Chagas (Podemos), Wilker Barreto (Podemos), Delegado Péricles (PSL) e Felipe Souza (Patriota), o presidente explicou o rito que os processos de afastamento precisam seguir, de acordo com a legislação. “A Assembleia Legislativa não está omissa. Estamos aqui buscando soluções para dar a resposta que o povo tanto quer e espera de nós. Até os processos que estavam parados aqui, desde maio do ano passado, estão sendo analisados. Mas temos que ter muita cautela porque é um procedimento bastante complexo”, disse Cidade, lembrando que, além do Legislativo, caso seja aprovada em Plenário, a questão ainda precisará ser encaminhada e votada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Abertura do comércio

Além de pedirem o afastamento do governador, os manifestantes defenderam a reabertura gradual do comércio, que desde dezembro do ano passado tem tido apenas o funcionamento de atividades essenciais. Segundo eles, sem as atividades comerciais está difícil de manter o sustento das famílias. O representante dos motoristas de transporte por aplicativo, Márcio Frank, pediu que os deputados articulassem junto ao Governo do Estado uma flexibilização para categoria, que atualmente só pode transportar um único passageiro.

“Só podemos pegar uma pessoa por vez e com isso nós vivemos tendo que fugir da fiscalização da polícia. Os ônibus podem andar lotados, os ‘Amarelinhos’ também e nós só podemos levar uma única pessoa”, reclamou.

Participaram da reunião com os deputados o presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas, Mário Vianna; o presidente do Sindicato dos Feirantes, David Lima da Silva; presidente da Associação dos Trabalhadores Ambulantes, Marcos Maia; o representante da Câmara de Dirigentes de Lojistas Jovem, Marcelo Moura; o representante dos motoristas de transporte por aplicativo, Márcio Frank; e o representante dos mototaxistas, Raimundo Wagner de Oliveira.