Desativação de agências da Receita Federal no interior do Estado é criticada na Aleam

O anúncio do fechamento das agências da Receita Federal nos municípios de Manacapuru e de São Gabriel da Cachoeira, foi apontado nessa terça-feira (26) pelo deputado Luiz Castro (Rede), como um grave retrocesso, que vai acarretar em empecilho aos pequenos empreendedores dessas cidades, que terão que se deslocar até Manaus em busca de atendimento para resolver questões fiscais.

Em comunicado de liderança, Luiz Castro disse que encaminhará uma indicação ao Ministério da Fazenda, solicitando a manutenção do serviço e expondo os prejuízos que a desativação da unidade da Receita em Manacapuru, causará também aos empreendedores dos municípios vizinhos como Iranduba, Anori, Anamã e Novo Airão.

“Em São Gabriel da Cachoeira, então, será mais difícil ainda para os pequenos empreendedores, devido a enorme distância para o deslocamento até a agência da Receita de Manaus”, observou o deputado, líder da Rede Sustentabilidade, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

O anúncio de desativação das agências, ao todo 25, em todo o Brasil, foi publicado nessa segunda (25), em portaria no Diário Oficial da União (DOU), sob a justificativa de falta de orçamento. O cancelamento das atividades das unidades ocorrerá a partir de 6 de julho.

Luiz Castro pediu uma posição clara da Aleam em apoio à indicação que ele encaminhará ao Ministério da Fazenda, assim como solicitou à bancada amazonense no Congresso, para interceder no sentido de defender a manutenção das agências em Manacapuru e São Gabriel da Cachoeira.

Assessoria de imprensa do deputado