Desembargador nega soltura de advogado suspeito por tentativa de feminicídio

O desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), José Hamilton Saraiva, negou a soltura do advogado Marcelo Gonçalves de Oliveira, 40 anos. O acusado é investigado por tentativa de feminicídio contra a ex-namorada, Teresa Victoria Mota Pinheiro, 22 anos, em março deste ano.

Marcelo foi preso pela Polícia Civil no dia 8 de abril, na residência da sua mãe, localizada no bairro Coroado, zona leste de Manaus. Durante a prisão, o advogado ao perceber a chegada dos policiais, tentou fugir pulando o muro dos fundos da residência, mas foi capturado no quintal do vizinho.

Segundo a Polícia Civil do Amazonas (PM-AM) as provas apontavam que ele ameaçou sequestro por telefone, além de ter agredido a namorada. A prisão do advogado ocorreu após os fatos. Segundo a delegada Débora Mafra, dois laudos de exames de corpo de delito indicam que a mulher foi esganada pelo advogado.

No último dia 22, a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amazonas (OAB) divulgou nota prestando solidariedade à vítima e repúdio ao advogado.

Dois dias após a divulgação da nota de repúdio, no último sábado,(24), a OAB informou que suspendeu o advogado de forma cautelar por 90 dias. A decisão foi do Tribunal de Ética e Disciplina da entidade que considerou a conduta dele “incompatível com a dignidade da advocacia”.