Desembargadora federal solicitou informações para decidir se põe Melo e Edilene em liberdade

A desembargadora Federal Mônica Sifuentes do Tribunal Regional Federal da 1º Região em Brasília (TRF-1), solicitou nessa sexta-feira (12), da Justiça Federal do Amazonas, informações sobre a prisão preventiva do ex-governador cassado José Melo.  A desembargadora deu um prazo de 72 horas para que as informações sejam encaminhadas.
Após o recebimento dessas informações a desembargadora vai julgar o pedido de habeas corpus ingressado, na última segunda-feira (8), pela defesa, pedindo a liberdade do ex-governador José Melo e da ex-primeira-dama do Estado, Edilene Oliveira.
José Melo, está preso no CDPM 2, e a mulher dele, no CDPF desde o dia 4 de janeiro, após terem prisão preventiva decretada.
Ele é investigado pelos crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa, segundo informação da PF.
Ainda de acordo com a investigação, Melo recebia pagamentos periódicos de propina dos membros da organização criminosa que desviou mais de R$ 120 milhões da saúde do Estado.
A operação que levou Melo e Edilene à prisão foi batizada pela PF como ‘Estado de Emergência’, uma alusão à situação de calamidade que se encontrava a prestação de serviços públicos de saúde no Estado.