Desunida, terceira via enfrenta impasses para montar palanques de Ciro, Doria e Tebet nos estados

Presidenciáveis são alvos de desconfiança de pré-candidatos a governador de seus próprios partidos

Foto: ilustrativa

Ainda distante de uma definição sobre como disputará as eleições deste ano, a chamada terceira via tem alianças políticas emperradas nos estados. Com baixa intenção de voto nas pesquisas de opinião, a senadora Simone Tebet (MDB-MS), o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) veem candidatos a governador de seus partidos nos estados inclinados a apoiar o ex-presidente Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Ao mesmo tempo, o pacto dos partidos de centro por uma candidatura única se tornou ainda mais incerto após o União Brasil desembarcar e decidir lançar uma chapa pura com Luciano Bivar, que preside a sigla.

Simone e Ciro farão campanha no Nordeste ao lado de correligionários que também vão pedir votos para o líder petista. No PSDB, Doria deve ficar sem um palanque exclusivo em dois dos três maiores estados do país.

Na reportagem completa para assinantes do GLOBO, você conhecerá o mapa completo de palanques estaduais que os partidos de terceira via tentam construir e onde estão os maiores entraves para Ciro, Doria e Tebet.