Detentos da Operação Xeque Mate são transferidos de Eirunepé para Manaus por conta de superlotação em delegacia

Na chegada a Manaus, o Grupo Fera encaminhou todos para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM)

Foto: Divulgação

Cinco detentos identificados como Antônio Moreira dos Santos, de 37 anos, Francisco de Paulo de Lima Castilho, de 40, Francisco Cosmo Gurgel Bispo, de 36 anos, Erick Ozório da Silva, de 29, e Magno Gomes da Silva, de 28 anos, foram transferidos da delegacia de Eirunepé para Manaus, segundo informou a Polícia Civil nesta segunda-feira (11).

Antônio Moreira dos Santos, conhecido como “Sabino”, e Francisco de Paulo de Lima Castilho, o “Pacu”, foram presos com 100 kg de oxi  durante a “Operação Xeque Mate“, que culminou também com a prisão do vereador de Eirunepé, Antilde José Gomes (MDB), apontado como um dos compradores da droga. O parlamentar é irmão do senador Plínio Valério (PSDB).

De acordo com o investigador Gonzaga Rezende, os cinco detentos foram transferidos por conta da superlotação da delegacia, que tem hoje 121 presos, embora sua capacidade seja para apenas 38.

Segundo o coordenador da operação, foi montada uma grande operação para a transferência dos criminosos. Foram quase 12 horas de voo ida e volta de Eirunepé a Manaus, fazendo uma parada em Carauari para abastecer a aeronave.

Na chegada a Manaus, o Grupo Fera encaminhou todos os detentos para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde devem permanecer.